OKR

O Guia definitivo do OKR

O que é OKR

OKR é a sigla para Objectives and Key Results, em português podemos traduzir para Objetivos e Resultados Chave.

É uma metodologia mais ágil para gestão de objetivos e metas que pode ser utilizado por qualquer tipo de empresa e por empresas de qualquer tamanho. (confesso que algumas verticais de empresa possuem muito mais dificuldade do que outras).

Na metodologia, os objetivos (O) devem ser qualitativos e devem ser inspiradores. Enquanto os resultados chaves (KR), devem ser quantitativos e mensuráveis, são os que chamamos comumente de metas.

Mais do que uma metodologia para gerenciar objetivos e metas, gosto de parafrasear Ben Lamorte que diz:

“OKR é um framework de pensamento crítico que procura garantir que o time trabalhe em conjunto focando os esforços em fazer contribuições mensuráveis que levam a empresa para frente”

Chamo atenção para as palavras “foco” e “mensurável”.

Todos nós queremos “dominar o mundo”, mas temos, certamente, recursos finitos como dinheiro e tempo.

Por isso, apontar o caminho para onde a organização deve seguir é algo de extrema importância. Depois, conseguir medir se estamos indo para onde nos comprometemos, ajuda a tomarmos as melhores decisões sobre novos processos, produtos e estratégias.

Como surgiu o OKR

Em início dos anos 1900, Frederick Taylor, um dos maiores estudiosos da administração, escreveu o livro intitulado “Os princípios da administração científica” onde abordava temas como gestão de pessoas, desenvolvimento, salários e produtividade na tentativa de melhorar o desempenho operacional.

Anos mais tarde, Peter Drucker, considerado o pai da administração moderna, escreveu nos anos 50 um livro sobre gestão de objetivos. As premissas de Drucker é que os objetivos deveriam ser construídos junto com as equipes, serem desafiadores e motivantes e que deveriam ser acompanhados com frequência para alcançar melhores resultados.

Décadas a frente, um gestor diferenciado, entendendo a evolução da administração das empresas e a velocidade da tecnologia, fez adaptações sobre os trabalhos anteriores.

Se baseando em sua grande experiência como gestor e nas teorias de Taylor e Drucker, Andy Grove fez adaptações e formatou a metodologia que hoje conhecemos como OKR.

Diferente do que muitos imaginam, OKR não é uma metodologia moderna.

Utilizada desde os anos 1970 na Intel por Andy Grove e sua equipe, a metodologia existe há décadas e vem sendo utilizada pelas melhores empresas de todo mundo.

Objetivos

Devem expressar os objetivos e intenção da empresa ou das equipes.

Os objetivos nos ajudam a responder para onde queremos ir. Eles devem ser quantitativos e devem inspirar as suas equipes a andarem na mesma direção alcançando algo diferenciado.

O sucesso no atingimento do objetivo deve gerar um valor claro para a organização.

Para escrever um bom objetivo, podemos seguir a dica: verbo + o que queremos fazer + motivo/impacto no negócio.

Exemplos de objetivos: 

  1. Crescer as vendas no sul dominando a região
  2. Ter a melhor plataforma de gestão de pessoas do Brasil
  3. Ser uma empresa incrível para se trabalhar

Resultados chaves

São números que demonstram que estamos atingindo o nosso objetivo inspirador.

Os resultados chaves, diferente dos objetivos, devem ser quantitativos e mensuráveis.

Enquanto o sonho nos ajuda a responder “para onde queremos ir”, os resultados chaves são os números nos ajudam a responder “como sei que estou chegando lá?”.

Expressando um marco que seja fácil de medir, os resultados chave devem descrever resultados e não esforço.

Para escrever um bom resultado chave, podemos seguir a dica: verbo + o que será medido + meta.

Exemplos de resultados chave: 

  1. Crescer de 1.000 para 2.000 visitantes no blog.
  2. Vender para 150 novos clientes PME.
  3. Ter um NPS acima de 70.

Exemplos de OKRs:

Exemplo de OKR para o Marketing

Objetivo: Gerar os leads mais incríveis do mundo

Resultado chave 1: aumentar o tráfego do site para 25.000 acessos.
Resultado chave 2: capturar 1.000 novos prospects para nossa base através de landing pages e blog.

Resultado chave 3: gerar 500 MQLs através do site.

Exemplo de OKR para Produto

Objetivo: Ter um produto que os usuários sejam viciados

Resultado chave 1: lançar a funcionalidade X até o dia 25/02/2019.

Resultado chave 2: melhorar o desempenho da página Y em 20%.
Resultado chave 3: aumentar a utilização da funcionalidade X de 45% para 70%.

Exemplo de OKR para CS

Objetivo: Fazer os clientes nos amarem

Resultado chave 1: fazer reunião trimestral com 100% dos clientes.
Resultado chave 2: reduzir tempo de ativação de 30 dias para 15 dias.

Resultado chave 3: alcançar um NPS acima de 70.

 

Cerimônias

As principais cerimônias do OKR, são as reuniões de início de trimestre, as reuniões de acompanhamento (check in) e as de finalização de trimestre.

  1. Reuniões de início de trimestre servem para criar alinhamento na organização e definição do foco. Nesse momento é onde definimos as estratégias da empresa para o ano e quais são os objetivos que a empresa quer atingir.

    Tendo criado os objetivos da empresa, passamos para o desdobramento dos objetivos para outras áreas da empresa, que devem criar os objetivos de acordo com os OKRs da empresa já apresentados. Dessa forma, os objetivos vão se desdobrando de forma transparente até a última equipe.
  2. Reuniões de check in servem para debater os OKRs e os resultados chave atingidos. Umas das cerimônias mais importante do processo, no check in é onde os líderes apresentam os status, debatem sobre o que deu certo e errado e o que irão fazer para atingir os seus resultados até a próxima reunião.
  3. Reunião de fechamento de trimestre serve como um encontro para falar sobre lições aprendidas. As coisas que deram certas e também as que deram errado devem ser apresentadas para que a organização possa apreender e melhorar para o próximo trimestre.

A reunião de check in

Para a metodologia, o importante é causar impacto no negócio entregando ótimos resultados, independente da quantidade ou tipo de esforço.

A reunião de check in deve ser consistente e com uma cadência bem definida. Defina junto com sua equipe se será semanalmente ou quinzenalmente e se atenha as datas definidas.

Nessa reunião, falamos sobre os resultados atingidos, debatemos sobre os resultados gerais das equipes e sobre o que esperamos alcançar até a próxima reunião de check in.

Se sua empresa é grande, o ideal é que cada gestor faça com a sua equipe e depois leve esse resultado para uma reunião de lideranças para um debate mais tático sobre os resultados alcançados.

Atividades chave ou iniciativas

Para a metodologia, o importante é causar impacto no negócio entregando ótimos resultados, independente da quantidade ou tipo de esforço.

Porém, na prática, sabemos que é importante alinharmos com nossas equipes alguns esforços que são importantes.

Se queremos bater uma meta de vendas na semana, sabemos que uma atividade chave naquela semana vai ser fazer reunião com os principais clientes do pipeline de vendas e fazer um follow importante com aquele cliente grande pra fecharmos logo.

Então, em cada reunião de check in, devemos definir entre 2 a 3 atividades chave que são importantes para entregarmos até a próxima reunião.

Quais os melhores tipos de resultados chave?

Um equilíbrio bacana que devemos considerar na criação dos resultados chave para os nossos objetivos são entre indicadores de lagging e leading.

Lagging indicators são indicadores “atrasados”, que representam um resultado baseado em um esforço ou conjunto de resultados que já aconteceram.

O Net Promoter Score (NPS) por exemplo, é um lagging indicator. Quando você mede ele, ele está representando algo que já aconteceu no passado, e se você fizer qualquer coisa hoje para tentar melhorar esse indicador, ele não surtirá um efeito rápido.

Por outro lado, temos alguns conjuntos de indicadores que são mais simples de medir e que em tese, garantem um bom resultado no futuro.

Por exemplo, garantir que 100% dos nossos clientes tenham uma reunião trimestral com a equipe de Sucesso do Cliente. Esse é um resultado chave do tipo leading indicator, que apesar de não garantir que isso entregue excelência aos clientes, existe uma grande correlação entre eles.

Nesse caso, um OKR para o time de sucesso do cliente, poderia ter um resultado chave chamado “Ter um NPS igual ou acima de 70” e um outro “Realizar reunião trimestral com 100% dos clientes atuais” garantindo um mix saudável de indicadores.

Principais erros

  1. Atrelar OKRs a bônus
    Ao atrelar diretamente aos bônus ou remuneração variável, De maneira geral isso é ruim pois trava o processo, fazendo com que os colaboradores ao invés de pensar em objetivos e metas audaciosas, pensem diretamente em algo que eles sabem que vão atingir ao invés de algo que possa ser disruptivo.
  2. Resultado chave como atividade
    Por natureza, a primeira coisa que pensamos quando temos uma meta, é pensarmos o que iremos fazer para atingi-la. Porém, os resultados chaves precisam ser resultados e não atividades, projetos ou coisas relacionadas à esforço.
  3. Objetivos top-down
    Os objetivos e resultados chaves são 100% definidos pela liderança. A ideia é que alguns objetivos venham da liderança, mas que as equipes consigam e possam criar seus próprios OKRs se baseando nos objetivos das áreas e/ou da empresa.
  4. Resultados chaves com indicadores de saúde
    Os resultados chaves não devem conter indicadores de saúde do seu negócio. Sabe aquele indicador que está bom há meses? Ele não deve estar no OKR. Aqui devemos ter apenas indicadores que queremos melhorar e impactar o negócio.

  5. Não realizar reuniões de check in

Um dos erros mais comuns e mais perigosos na utilização do framework é de não realizar as reuniões de check in. A reunião permite um alinhamento e acompanhamento contínuo, garantindo sucesso na entrega dos resultados.

Check list Feedz para saber se seu OKR está bom!

  • Escrevi, refleti em equipe e debati com meus líderes e liderados. [ X ]
  • No texto do objetivo ou resultado chave não aparecem as palavras “manter”, “continuar”. [ X ]
  • Os resultados chaves estão claros e não são ambíguos [ X ]
  • Todos resultados chave são mensuráveis e rápidos de medir [ X ]
  • O nome dos meus objetivos são inspiradores [ X ]
  • Eu utilizo a Feedz para gerenciar os meus OKRs [ X ]

Para fechar

Na prática, a teoria é diferente.

Menos é mais. Se estiver na dúvida se coloca ou tira um objetivo: tira. Se tiver dúvida se coloca um resultado chave a menos ou a mais, deixa um a menos.

Se tiver dúvidas ou precisar de apoio me manda um e-mail para para bruno@feedz.com.br


One Reply to “O Guia definitivo do OKR”

Comments are closed.