Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O que é PDI e como fazer um plano de desenvolvimento individual [com exemplos]

O PDI é uma ferramenta fundamental no processo para empoderar o próprio colaborador na sua fase de desenvolvimento.

Um plano de desenvolvimento individual, ou PDI, é a chave para ajudar os colaboradores a alcançarem seus objetivos profissionais e, com isso, se sentirem reconhecidos e motivados.

Neste artigo, vamos entender melhor o que é um plano de desenvolvimento individual e como você pode construir um para sua carreira e para a carreira de seus colaboradores. 

Além disso, veja os modelos de PDI que nós inserimos para facilitar na hora de criar um. Continue lendo!

PDI – O que é?

Um plano de desenvolvimento individual, ou PDI, nada mais é que um plano bem estruturado de desenvolvimento, com objetivos, metas e prazos. Assim, o profissional consegue desenvolver novas habilidades e aperfeiçoar as que já possui.

Com o PDI o colaborador entende os passos que precisa seguir para alcançar determinado objetivo dentro de uma instituição, seja promoção, mudança de área ou mesmo um objetivo pessoal. 

Cabe a liderança entender qual fator impulsiona e impacta mais na vida de cada liderado e o ajudar a traçar um plano para alcançá-lo. 

A motivação dentro do ambiente de trabalho está diretamente ligada a fatores como reconhecimento dos funcionários, desenvolvimento e evolução. 

As empresas que não oferecem um plano claro de carreira e desenvolvimento deixam seus colaboradores com a sensação de estagnação, o que, com o tempo, diminui o engajamento e comprometimento deste com o negócio.

Profissionais motivados e engajados são mais produtivos e se posicionam como promotores do negócio. Isso funciona como uma reação em cadeia capaz de contagiar todos que trabalham na empresa. 

Além disso, a motivação ajuda a garantir que o colaborador se sinta mais feliz no ambiente de trabalho, o objetivo central de empresas que enxergam em seus profissionais o ativo mais importante.

 

Qual a importância de um Plano de Desenvolvimento Individual e quais os benefícios do PDI?

Baixe o nosso Guia do PDI e tenha em mãos tudo que você precisa para preparar, criar e acompanhar. Basta clicar na imagem acima.

O PDI serve como um mapa de desenvolvimento o que traz benefícios como:

  • maior foco no alcance dos resultados e objetivos;
  • previsibilidade de quando o objetivo será conquistado;
  • entendimento de quais desafios precisarão ser superados e como fazer isso;
  • mapeamento do que é necessário desenvolver para atingir um objetivo.

Um pesquisa demonstrou que na prática, as pessoas são mais motivadas ao perseguir algum ganho ou vitória.

Esse tipo de conhecimento nos permite a auxiliar nossas equipes a se desenvolver mais e melhor. 

O PDI serve para apoiar as equipes a se desenvolverem e se tornarem pessoas ainda melhores, podendo ser tanto em hard skills ou soft skills.

Leia mais: Gestão de equipe: 10 habilidades de um gestor inspirador

Se desenvolver e evoluir é algo incrível, isso nos tira da zona de conforto, aumenta nossa confiança e melhora inclusive como somos percebidos por outras pessoas.

Por isso é importante termos uma estrutura de aprendizagem e desenvolvimento contínuo e o PDI é a ferramenta certa para isso.

 

Como estruturar um PDI?

Não existe uma regra clara de quanto tempo deve durar um PDI, o ideal é que se pense entre 3 meses e um ano. 

Assim, é possível ter um período mínimo que realmente seja útil no desenvolvimento de habilidades e um período máximo que não seja longo o suficiente para o objetivo mudar ou não ser possível medir as conquistas.

Outro ponto importante na estruturação de um PDI é seguir alguns preceitos para que ele seja realmente um fator de motivação no trabalho para o colaborador. 

O objetivo pode ser estipulado em conjunto entre o colaborador e a gestão. Assim o profissional conta com uma visão mais especialista de como alcançá-lo, mas é crucial que se leve em consideração impacto, urgência e ambição do liderado.

Dessa forma, é possível definir: 

  1. o objetivo que tem mais impacto na sua carreira e que trará mais benefícios a longo prazo;
  2. o mais urgente, que trará benefícios mais rapidamente para a jornada do profissional;
  3. o mais desejável, afinal, de nada adianta o colaborador não se sentir atraído a alcançar tal objetivo, precisa ser uma meta desejada por ele. 

Como criar um PDI que faça a diferença?

Ao equilibrar esses três fatores, gestores e colaboradores conseguem priorizar o objetivo mais relevante para o profissional no momento e isso é crucial para um plano de desenvolvimento individual que tenha impacto positivo na carreira e motivação do profissional.

Isso porque o PDI pode ter apenas um objetivo por vez. Como falamos, ele é como um mapa e não existem rotas com mais de um destino.

Depois de estudar qual o objetivo a ser alcançado pelo colaborador, é hora de fazer uma análise da situação. Faça as seguintes perguntas:

  • Quais pontos fracos precisam ser desenvolvidos hoje para alcançar seu objetivo?
  • Quais os pontos fortes que precisam ser aprimorados para alcançar seu objetivo?
  • O que poderia atrapalhar o seu desenvolvimento? (Situações profissionais e pessoais)
  • O que poderia ajudar no seu desenvolvimento? (Situações profissionais e pessoais)


A partir dessas respostas é possível entender em que lugar o profissional está diante do seu objetivo. Se existem mais pontos fracos e que podem atrapalhar o desenvolvimento,
é possível pensar em um PDI mais robusto, com mais etapas de aprendizado.

Lembre-se que é sempre fundamental utilizar habilidades de liderança para entender o cenário e a individualidade de cada colaborador.

Agora, se prevalecem pontos fortes e situações que podem impulsionar o desenvolvimento, o PDI tem como foco o aprimoramento e, para tal, pode ter como base maior networking, estudo de casos e desafios.

Fazer a análise da situação é essencial para estipular metas de desenvolvimento profissional reais, que realmente motivam o profissional no caminho para alcançar seu objetivo.

O próximo passo é colocar tudo isso em um mapa das habilidades do profissional, que nada mais é do que a documentação da situação e entendimento da onde se está partindo. Com isso pronto, fica mais fácil a próxima etapa: definição das metas.

 

 

O que são as metas ao criar um PDI?

As metas são os passos curtos que devem ser dados para chegar a determinado objetivo. Elas devem ser factíveis e desafiadoras ao mesmo tempo. Além disso, devem ser práticas e ter prazos estipulados.

Por exemplo: se objetivo de um colaborador é assumir a conta de um cliente internacional, uma das metas pode ser fazer aulas de inglês semanalmente.

As metas não podem ser abrangentes, elas devem ser objetivas e dizer exatamente o que o colaborador deve fazer a cada etapa para cumprir seu objetivo maior. Só assim ele terá foco e se sentirá motivado durante a jornada. 

Por fim, é hora da ação: colocar todas as ações e metas em prática para atingir o objetivo. 

O papel do gestor aqui é fazer o monitoramento e acompanhamento do colaborador a fim de o ajudar a superar os desafios que venham a aparecer e comemorar junto cada conquista.

 

Como o RH e os Gestores podem acompanhar um Plano de Desenvolvimento Individual

Na fase de monitoramento e acompanhamento o gestor deve fazer feedbacks constantes e reunião one on one com o colaborador. 

Dessa forma ele consegue acompanhar a evolução e atuar para orientar como superar os desafios que possam aparecer no caminho.

Outro ponto importante dos feedbacks é a comemoração das conquistas. Como o sistema é baseado em metas, a cada cumprimento é essencial que o colaborador seja reconhecido e parabenizado

Assim, sente-se motivado a continuar seguindo seu PDI e percebe a importância de cada passo.

Essas conversas podem ser semanais ou quinzenais e devem durar no máximo 30 minutos, para manter o foco e ter um acompanhamento próximo, assegurando que o profissional se mantenha resiliente em todo o percurso e concretize os aprendizados a cada etapa.

 

2 modelos de PDI para usar como exemplo

Bom, a essa altura você já entendeu que o PDI é um plano de desenvolvimento para chegar em determinado objetivo, desenhado a partir de metas factíveis e desafiadoras com prazos pré-estabelecidos. 

Além disso, deve estar alinhado com os desejos dos colaboradores e ser desenhado a partir de uma análise das habilidades atuais do profissional. 

Mas como isso fica na prática? Ter em mãos um exemplo de PDI preenchido ajudaria? Então veja os seguintes exemplos de PDI preenchidos:

 

1. Objetivo: Assumir uma conta internacional

Metas:

1. Conhecimento em Inglês

Fazer aulas semanais de inglês avançado

Ter uma conversa em inglês por mês

Ler um livro em inglês

Participar de 3 reuniões em inglês

Escrever um texto em inglês por mês 

2. Competências técnicas

Fazer um curso de atendimento ao cliente

Fazer curso de aprimoramento na área técnica a ser desenvolvida

Criar network na área de atuação do cliente

Estudar área de atuação do cliente por meio da leitura semanal, durante todo o período, de notícias relacionadas.

2. Objetivo: Palestrar em evento representando a empresa

Metas:

1. Ser referência no assunto

Criar um artigo por semana para o LinkedIn

Ler três livros sobre a área de atuação

Ver três TED Talks para ter como inspiração

2. Competências técnicas

Fazer um curso de oratória

Fazer curso de storytelling

Estudar sobre criação de apresentações

A partir desses modelos é possível pensar em diferentes PDIs. Lembre-se: quanto mais específicas as metas, melhor. Setorizar os objetivos também é uma boa ideia, assim o profissional irá entender qual habilidade tem mais facilidade, qual é mais desafiadora e onde precisa concentrar mais sua energia.

Agora é colocar a mão na massa! Bora voar com PDIs incríveis para todos os seus liderados!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gabriel Leite

Gabriel Leite

Voar pelo conteúdo

A plataforma completa para aumentar o engajamento e desempenho de colaboradores

Outros conteúdos que você pode gostar

Cadastre-se e receba os melhores conteúdos sobre engajamento e desempenho em primeira mão!