[URGENTE] 🚨 Confirmado: Vai ter evento presencial da Feedz em São Paulo! #FeedzDay

Liderança: o que é, quais são os tipos e como descobrir o seu

Você está usando um estilo de liderança eficaz que funciona melhor para você e sua equipe? Agora, tenha uma visão geral de 8 estilos de liderança comuns e faça o teste para descobrir o seu estilo.
Descubra seu perfil de liderança!

Uma liderança eficiente e inspiradora é a base de um negócio de sucesso. Isso porque os gestores são como a ponta que liga o operacional ao estratégico, ou seja, são eles que  traduzem os interesses da empresa em ações concretas para atingir o objetivo.

Por isso, os líderes precisam estar conectados com a gestão do negócio e com o mercado, entendendo quais as melhores decisões alinhadas com a estratégia.

Tudo isso facilita a liderança com os colaboradores, podendo instruir as melhores práticas e ações para se atingir o objetivo.

A função por si só já é desafiadora, mas no decorrer do tempo os líderes encontram situações que os obrigam a estar em constante evolução.

Vamos ao exemplo do momento: o home office. As lideranças de grandes e pequenas empresas tiveram que aprender em um curto espaço de tempo como engajar, cobrar e gerenciar times remotos. Além de procurar por soluções para que as atividades continuassem a serem feitas sem prejuízos nos resultados fora da estrutura do escritório.

O aprendizado e evolução, com pandemia ou não, fazem parte das características de um bom líder.

Neste artigo você vai aprender sobre os tipos de liderança, seus principais atributos, como se desenvolver para atingir resultados cada vez melhores e muito mais! Dá uma olhada ?

 

O que é liderança? 

Conceitualmente, liderança é a capacidade de influência de uma pessoa em determinado grupo a fim de direcionar ações para chegar em um resultado específico.

Mas na prática, vai muito além disso. Mais do que traçar estratégias para que um objetivo seja alcançado, o líder precisa:

  • gerenciar pessoas, tarefas e prazos;
  • fazer mediação de conflitos;
  • saber engajar e motivar a equipe;
  • ter um alto potencial de tomada de decisões;
  • entre muitas outras coisas. 

Muitos gestores, entretanto, acabam se perdendo nesse papel e se tornam quase que um anti-líder, exercendo exatamente o oposto do que deveriam nas pessoas. 

Para se ter uma ideia, uma pesquisa da consultoria de recrutamento Michael Page mostrou que oito em cada dez profissionais pedem demissão por conta de seu chefe. Entre os principais motivos estão sentimento de que o chefe não é um líder, falta de crescimento profissional e falta de feedback.

tv show focus GIF

Portanto, tão importante quanto entender o que é liderança, é saber o que não é. Dar ordens e delegar funções sem mostrar o objetivo claro e não se posicionar como referência, por exemplo, não é exercer liderança. 

Para resumir: liderança é aquela que consegue facilitar, através do exemplo e conhecimento, o dia a dia dos colaboradores para que atinjam os resultados com mais leveza, estratégia e engajamento.

Para se manter assim frente às mudanças de mercado, no entanto, é preciso estar em constante evolução e aprimoramento.

 

Tipos de liderança 

Agora que você já sabe o que é liderança – e o que não deve ser – vamos mostrar os diferentes tipos de liderança que podem ser exercidos. Eles devem se adequar ao perfil do líder (falaremos sobre isso adiante), da equipe e do negócio.

 

1. Liderança autocrática

Nela se baseiam os líderes mais tradicionais. O  líder autocrático é aquele que toma decisões sem envolver a equipe, centraliza tarefas, impõe regras e não se preocupa em manter um diálogo com o time. Aqui se sobrepõe a imagem de uma equipe sem autonomia e liberdade de criação, que se comporta apenas como cumpridores de tarefas.

 

2. Liderança democrática

É o oposto da anterior. Nela os líderes tomam decisões e compartilham ideias em equipe. Sendo assim, a liderança exerce um papel de orientadora, facilitadora e o time também tem responsabilidade sobre o que é decidido e entregue — o que abre espaço para um número maior de ideias e soluções.

 

3.  Liderança técnica

O líder técnico é bastante focado no “mão na massa”. Mais do que orientar e mediar as decisões, a liderança é vista como um exemplo dentro da execução de tarefas, como quem mais entende de determinada atividade.

Esse tipo de líder exerce influência sob os colaboradores por conta do exemplo e inspiração e é mais centrado em fazer do que gerenciar ou planejar — o que é visto por muitos como negativo, mas depende, como falamos, do perfil da equipe e negócio.

 

4. Liderança liberal

Na gestão liberal o líder é mais passivo, ou seja, não atua fortemente na orientação do time, planejamento de ações ou execução de tarefas.

Esse é o modelo de liderança baseado em delegar funções e indecisão na hora de fazer escolhas complexas, jogando a responsabilidade para os colaboradores.

 

5. Liderança situacional

Presente principalmente em instituições que atuam com métodos ágeis de gestão, esse é o tipo do líder que sabe se adaptar bem às situações adversas e orientar seu time por meio das mudanças de posicionamento do negócio. A maior característica de um líder situacional é a flexibilidade para poder adequar as ações às mudanças.

 

6. Liderança carismática

Também podemos chamar de líder natural, aquele que sem muito esforço conquista a simpatia da equipe e consegue conversar de modo fluído e fácil com todos.

Os líderes carismáticos saem um passo à frente dos outros uma vez que não precisam de esforço para conquistar a confiança das pessoas, mas é preciso cuidado: só carisma não faz um bom líder.

É preciso se desenvolver na área técnica e de gestão de pessoas para se tornar um profissional completo.

 

7. Liderança servidora

É aquela que tem a capacidade de se colocar no papel do liderado para entender quais as melhores decisões a serem tomadas do ponto de vista da equipe.

Aqui se destaca empatia, mas é preciso ter cuidado para não se deixar os interesses do negócio de lado.

 

8. Liderança 360°

Esse tipo de líder tem um grande poder de influência, não somente com seus liderados diretos, mas com os colaboradores de outras equipes e até mesmo com seus próprios chefes.

Por conta do conhecimento técnico e poder de empatia, o líder 360° consegue ter uma visão geral das estratégias adotadas pelo negócio e como organizar as atividades de todos para alcançar os objetivos.

 

Perfis de liderança 

Os tipos de liderança podem ser desenvolvidos ao longo do tempo de acordo com a necessidade da equipe e do negócio. Já o perfil de liderança é algo mais intrínseco ao gestor, são características natas que os ajudam a exercer seu papel dentro do negócio.

Isso não significa que um líder não pode desenvolver alguma característica de um perfil específico, mas é mais fácil aprimorar aquelas que já fazem parte da sua natureza. Do mesmo modo, refutar alguma característica intrínseca de um determinado perfil para se adequar às necessidades da equipe pode ser um grande desafio.

James Corden Flirting GIF by The Late Late Show with James Corden

Conheça os principais perfis de liderança:

Líder Alpha

É aquele que tem a capacidade natural de liderança, com uma postura voltada a resultados – muitas vezes chegando a se postar de maneira agressiva -,  motivador, autoconfiante e com soluções inovadoras para a equipe. 

Pontos positivos 

  • espírito empreendedor
  • direto
  • confiante
  • competitivo
  • sabe lidar com conflitos.

Pontos negativos 

  • teimoso;
  • não ouve a equipe;
  • senso crítico exacerbado;
  • baixa capacidade de gestão de pessoas.

 

Líder amigo

O famoso “amigo da galera”. Esse tipo de líder tem popularidade entre os colaboradores de seu time, cria uma relação próxima com todos e tende a ver os problemas pessoais e profissionais como complementares, sempre se colocando no papel dos outros.

Pontos positivos ?

  • tem empatia;
  • forte papel engajador e motivador;
  • sabe fazer gestão de pessoas.

Pontos negativos ?

  • não sabe tomar decisões difíceis;
  • sempre fica em cima do muro;
  • tem dificuldade em repreender os colaboradores.

 

Líder orientado a resultados

Esse tipo de liderança é aquela que toma todas suas decisões baseadas em dados e com foco no objetivo. O líder que tem esse perfil nunca toma uma decisão ao acaso, sempre procurando embasamento para tal.

Pontos positivos 

  • decisivo;
  • estratégico;
  • resultados bons;
  • bom relacionamento com as pessoas.

Pontos negativos

  • limita a inovação;
  • estilo tradicional de gerenciar;
  • muito exigente.

 

Como desenvolver uma boa liderança ?️

Por mais que o perfil de liderança respeite vocações naturais das pessoas, todas as habilidades podem ser desenvolvidas para se adequar ao tipo e perfil de líderes que uma empresa ou equipe demandam.

É claro que tais competências tendem a evoluir mais rápido e de forma orgânica se forem trabalhadas em cima de capacidades natas.

Para entender qual é uma boa liderança para determinada equipe, o primeiro passo é ouvir os times.

Ter práticas de feedbacks constantes, além de avaliações de desempenho 360° ajuda a empresa a entender como os colaboradores avaliam a liderança e como o papel dos gestores impacta na motivação, engajamento e resultados da equipe.

Dessa forma, é possível avaliar qual o tipo e perfil de liderança que um setor específico demanda e traçar planos de desenvolvimento para que o líder atenda às necessidades.

Tais planos podem ser incentivados e organizados pela empresa ou ainda mapeados e idealizados pela própria liderança.

 

Como o líder pode se desenvolver

Independente do estilo de liderança, existem algumas características que todas as pessoas que se dispõe a estar na frente de um time precisam desenvolver para melhor guiar sua equipe.

Apesar disso, alguns conceitos são importantes de serem elucidados para o desenvolvimento de uma boa liderança:

  • Não tenha medo do seu time ser melhor do que você: por mais que exista o líder técnico, o que as equipes mais demandam de um gestor é sua capacidade de gerir. Um time espera que seu líder o mostre a melhor saída, desenhe estratégias e passos para segui-la, tome as decisões mais adequadas, gerencie o tempo das pessoas e as ajude a atingir os melhores resultados. Sendo assim, quem precisa se desenvolver tecnicamente é quem está na ponta, no operacional, e não a liderança. O caminho natural disso é que um bom líder tenha uma equipe mais técnica do que ele, e isso não deve ser um problema.
  • Esqueça o controle: muitas pessoas quando chegam a cargos de liderança acreditam que terão o controle da sua equipe, mas um bom líder não exerce sua função na base de ordens, e sim de influência. Mais do que delegar funções e cobrar resultados, a liderança precisa dar o exemplo, mostrar por que as decisões foram tomadas e influenciar a equipe a caminhar dentro do rumo certo. É sútil, mas faz toda a diferença.
  • Escuta ativa: o líder deve sempre estar disposto a ouvir seus liderados, mesmo que o feedback seja negativo ou que o assunto seja pessoal. Só dessa forma ele terá o cenário completo, ou seja, entenderá todas as variáveis que estão impactando no trabalho de uma pessoa e poderá ajudá-la evoluir.

liderança

  • Capacidade de decisão: o líder é quem as pessoas procuram para resolver problemas e fazer escolhas difíceis. Portanto, ele não pode ficar em cima do muro, precisa ter os insumos suficientes para tomar as melhores decisões.
  • Capacidade de mediar conflitos: não é incomum desentendimentos dentro da equipe de trabalho. O papel do líder é integrar o time a ponto de evitar tais conflitos e ter a imparcialidade necessária para mediá-los, se for o caso.
  • Gestão de tempo: o líder deve saber dividir as demandas para que ninguém fique sobrecarregado e acompanhar as atividades dos colaboradores para ajudá-los a gerir melhor seu tempo.
  • Criar processos e documentações: a parte mais “burocrática” do trabalho de um líder diz respeito a organizar a equipe, procurando processos que otimizem o tempo e documentações que facilitem o trabalho.

 

tipos-de-liderança

Como o RH pode desenvolver lideranças

Nem sempre, no entanto, o desejo de desenvolvimento — ou mesmo a percepção dessa necessidade — parte do próprio líder. Nesses casos, é dever do RH intervir para aperfeiçoar as lideranças.

Além disso, o setor de recursos humanos pode, e deve, trabalhar para integrar as lideranças, incentivar troca de experiências e oferecer apoio aos desafios.

Fóruns de liderança e feedbacks constantes com os líderes são ferramentas úteis. Nos fóruns, todos os gestores do negócio podem trocar experiências, aprender com as outras áreas, além de uniformizar um tipo de liderança para o negócio.

Nesses espaços, o RH ainda pode dar workshop de gestão de pessoas, gestão de tempo e mediação de conflitos, por exemplo. 

Por outro lado, os feedbacks servem para os líderes dividirem suas angústias e desafios com os profissionais de RH, que então podem buscar as melhores soluções para desenvolver tal liderança e, consequentemente, o seu time.

 

Como a liderança deve se comunicar com o time?

A comunicação é uma das atribuições principais de um líder. Além de ser claro em suas falas, ele deve se manter aberto para ouvir os colaboradores. É o famoso “líder não manda recado”.

liderança

Quem está nesse papel precisa ser assertivo e direto em todas as suas comunicações — seja em comunicados, negociações com o cliente ou orientações para os liderado. Dessa forma, é possível evitar os mal entendidos e falhas nos processos por conta de uma comunicação mal feita.

Fazer a gestão da comunicação também é papel do líder, ou seja, delimitar por quais meios cada assunto deve ser tratado e impor limites na forma de abordagem.

Por exemplo, um líder que manda WhatsApp para um colaborador às 22h sobre um assunto que poderia ser tratado no outro dia durante o expediente está passando o recado de que não existe hora para o trabalho, e isso gera ansiedade e falta de motivação nos colaboradores.

A liderança deve ter bem claro os papéis dos meios de comunicação, ainda mais quando o trabalho é viabilizado por home office:

Email – assuntos que precisam ser formalizados; assuntos que envolvem mais de uma pessoa; planejamentos;  conversa com o cliente; assuntos que precisarão ser resgatados no futuro; decisões.

Canais corporativos de comunicação, como Slack – conversas pontuais para realização de uma atividade; assuntos que interessam todo o time; comunicado para reconhecimento de um colaborador ou equipe; comunicados institucionais.

Mensagem pessoal, como WhatsApp – apenas assuntos urgentes que não podem esperar por uma resposta no email.

Além da comunicação com o grupo, é preciso que os líderes criem espaços de comunicação com os integrantes do time, a fim de entender os desafios pessoais e ajudar nessa esfera. Para tal, a realização de 1:1s constantes são essenciais.

Lembrando que a comunicação não-verbal também exerce influência sobre os colaboradores, então a liderança deve ter sempre uma postura ativa, positiva e que remeta a colaboração – nada de braços cruzados durante uma one-on-one!

 

Como um líder pode conciliar personalidade com habilidade

A liderança é algo muito mais relacionado ao caráter e virtude do que às habilidades de um indivíduo.

Esses atributos que formam nossa personalidade, estão relacionados com a nossa natureza, eles representam como iremos nos comportar em determinados momentos.

Resiliência, adaptabilidade, humildade, generosidade, justiça e magnanimidade são exemplos desses atributos.

As habilidades nos permitem lidar bem com uma situação conhecida, como andar de bicicleta e jogar ping-pong, por exemplo, ou resolver um problema com a tecnologia X.

Funcionam extremamente bem quando o contexto e as regras são bem definidas, como em esportes ou trabalhos simples e repetitivos.

O desafio é que, quando entramos em um ambiente de incerteza, as habilidades de grosso modo, não poderão nos ajudar, pois não fomos treinados para tal.

Desta maneira, acabamos de forma instintiva, voltando aos nosso atributos de origem, que formam a nossa personalidade.

Entender de gestão e as melhores práticas de liderança sem dúvidas são importantes.

Porém, o que te levará a um outro patamar como líder, é a compreensão e desenvolvimento desses atributos.

O desafio, como diria Jeff Bezos, é que cedo ou tarde descobrimos que é mais difícil ser amável do que inteligente.

 

Qual é o processo de tomada de decisão de um líder?

Um dos principais papéis de um líder é participar de processos para uma boa tomada de decisão e em alguns casos, propriamente tomar decisão.

Existem decisões fáceis e difíceis, podemos chamar de “one way door” e “two way door”.

Decisões “one way door” são decisões normalmente irreversíveis ou são muito custosas para serem revertidas. Por exemplo, a decisão de desligamento de muitas pessoas, a compra de uma nova empresa ou até mesmo a compra de um equipamento muito caro.

As “two way door” por outro lado, são fáceis de reverter e tentar alguma coisa diferente. Por exemplo, aumentar por um mês a verba de mídia paga, delegar atividade X para a pessoa Y, experimentar um novo processo.

Independente do tipo de decisão tomada, uma coisa super importante e muitas vezes esquecida é o acordo com todos sobre essa decisão.

O primeiro passo é deixar clara qual foi direção escolhida. Ninguém pode ter dúvidas sobre isso.

O segundo passo é o que Andy Grove chama de “full support” e Jeff Bezos chama isso de “disagree and commit”.

Após a decisão ser tomada, independente se o líder que participou da discussão, concorda ou não com a decisão final, é necessário que todos deem apoio completo sobre aquela decisão, perante aos pares e perante sua equipe.

O papo de “eu avisei que não ia/vai dar certo” não pode existir.

A decisão foi tomada, a direção está clara e mesmo que não concorde, é necessário um compromisso de sucesso na decisão tomada.

 

Ferramentas de gerenciamento para líderes ? 

Para operacionalizar todas as responsabilidades de um líder, é preciso estar munido das ferramentas certas. Lembra que falamos que a organização de processos é também responsabilidade das lideranças?

Bosch Professional elektrické nářadí a příslušenství fire gun western bang GIF

  • Para ajustar a organização de demandas, ter uma visão completa das atividades diárias de cada um do time, acompanhar o status das coisas e entender como está a gestão de tempo das pessoas, é possível contar com ferramentas de gestão de processos e atividades como Trello, Asana, ClickUp, Monday, além da boa e velha tabela de Excel, que em um primeiro momento pode ajudar.
  • Para organização pessoal do líder quanto o desenvolvimento de cada integrante da equipe, anotações dos 1:1, acompanhamento dos feedbacks e gestão da motivação do time, ferramentas como a Feedz são essenciais. Por meio dela, além de demandar e gerenciar os feedbacks, os líderes acompanham o humor diários dos liderados e indicadores de engajamento, desempenho e motivação.
  • Softwares em nuvem para produção (como o Google Drive, OneDrive, Dropbox) ainda podem ajudar na gestão da documentação, gerando padrões e armazenando em um mesmo ambiente – com acesso gerenciável – todas as ações do time.

Agora que você já sabe quais os tipos de liderança e como desenvolvê-las  conte para gente: na sua empresa, como se desenvolvem as lideranças e quais os maiores desafios delas? Conte com a Feedz para otimizar o gerenciamento da sua equipe quando o assunto é engajamento e desempenho! ?


Gabriel Leite

Gabriel Leite

Voar pelo conteúdo

A plataforma completa para aumentar o engajamento e desempenho de colaboradores

Assine nossa newsletter!

Outros conteúdos que você pode gostar