Como o feedback auxilia na gest√£o de conflitos

Profissional de RH em paz depois de fazer a gest√£o de conflitos na empresa

As pessoas estão mais estressadas no ambiente de trabalho. Um estudo da Microsoft mostrou que, durante o primeiro ano da pandemia, 45% dos brasileiros questionados disseram que sentiram o aumento do seu esgotamento físico e mental.

Dentro das empresas, isso tende a gerar mais embates. E uma das ferramentas para fazer a gestão de conflitos é o feedback. 

Criar um ambiente colaborativo que inspire confiança e transparência, ajuda as pessoas a terem menos atritos no ambiente de trabalho.

Feedbacks construtivos e de reconhecimento auxiliam a chegar nesse est√°gio.

Para as empresas que estão em home office, essa troca é ainda mais importante. Isso porque a forma abrupta como foi adotada essa prática não permitiu um planejamento e um período de adaptação adequados.

Assim, as pessoas se sentiram mais pressionadas em mostrar resultados e se comparar com os colegas. Isso tudo contribui para que fiquem mais na defensiva.

Um estudo do LinkedIn, feito em 2020, mostrou que  24% dos entrevistados se sentiam pressionados a responder mais rapidamente e estarem online por mais tempo do que normalmente estariam.

Além disso, 27% enviavam e-mails fora do horário do expediente para mostrar que, mesmo em casa, estavam trabalhando muito; e 18% destacaram que a preocupação de se mostrar ocupado com o trabalho tinha relação com o medo de perder o emprego.

Isso fez com que 69% das pessoas dissessem estar mais ansiosas e estressadas do que antes. Ou seja, praticamente 7 em cada 10 pessoas est√£o no seu limite o tempo todo.

A gestão de conflitos é importantíssima nesse contexto. Com os sentimentos à flor da pele, muitas vezes um mal entendido é o suficiente para instaurar uma crise.

Felizmente, há ferramentas que ajudam as empresas a contornar essa situação, como o feedback.

Ent√£o bora entender como o feedback pode ser um grande aliado na gest√£o de conflitos? Vem com a gente!

 

O que é gestão de conflitos? 

A gestão de conflitos é a mediação de ideias que geram um embate dentro da empresa. 

Opini√Ķes conflitantes s√£o extremamente normais dentro de um ambiente de trabalho saud√°vel.

A discuss√£o, inclusive, ajuda a manter maior diversidade de solu√ß√Ķes, a construir processos mais azeitados e a garantir entregas mais completas.¬†

Mas, em um ambiente onde o estresse √© elevado e as pessoas sentem que precisam se provar o tempo todo ‚ÄĒ como o que est√° sendo vivenciado durante a pandemia ‚ÄĒ, essa diverg√™ncia pode se tornar algo negativo.

No lugar de somar ideias e construir algo positivo, as pessoas tendem a se desmotivar e n√£o ‚Äúlargar o osso‚ÄĚ durante uma discuss√£o. Aqui √© que entra a gest√£o de conflitos.¬†

O gestor ou respons√°vel pela √°rea deve ter claro at√© que ponto as discuss√Ķes est√£o sendo construtivas.

A partir do momento que elas começam a gerar picuinhas, intrigas e desmotivação, é preciso intervir.

O ideal √© sentar com as partes envolvidas, entender o problema, mostrar o lado positivo em cada uma das opini√Ķes e construir um consenso.

Para não precisar chegar a este ponto, porém, algumas ferramentas ajudam, como é o caso do feedback.   

 

Qual a import√Ęncia do feedback na gest√£o de conflitos?

O feedback tem uma import√Ęncia dupla dentro da gest√£o de conflitos: o de prevenir os desentendimentos e o de criar ambientes prop√≠cios a trocas construtivas.¬†

No caso de prevenção, ele atua também de duas formas. A primeira é facilitando a gestão de conflitos por parte do líder.

Durante as 1:1s, os gestores podem colher feedbacks sobre situa√ß√Ķes que deixam o colaborador desconfort√°vel ou chateado.

Ao entender o ponto comum dessas situa√ß√Ķes, o gestor √© capaz de intervir antes de ser criado um problema ou embate.

Por exemplo, se um profissional diz que se sente minimizado todas as vezes que um colega n√£o credita a ele a ideia de um projeto, o gestor pode incentivar que este colega d√™ os cr√©ditos necess√°rios, ou ele mesmo pode levantar essa bandeira nas reuni√Ķes.

Dessa forma, antes de se criar um embate entre os dois colaboradores, uma solução harmoniosa é implementada.

A outra forma do feedback ajudar na gestão de crise é criando ambientes seguros e que inspirem confiança nos colaboradores.

Guia pr√°tico para estruturar um programa de feedback

O feedback 360¬ļ, quando profissionais podem dar retornos para pares, colegas de outras equipes e gestores, ajuda a criar um clima de colaborativismo dentro da empresa.

Assim, as pessoas t√™m certeza de que se fizerem algo que desagrade algu√©m, esse profissional n√£o criar√° um caminho paralelo para informa√ß√Ķes, e sim dar√° um feedback direto para que o problema seja resolvido na ra√≠z.

Por outro lado, a cultura do feedback incentiva que as pessoas sempre reconheçam as outras, criando um espaço de confiança.

Isso ajuda na maior motivação da equipe, engajamento com os projetos e bom relacionamento.

 

Como estruturar um bom feedback?

Para ser efetivo na gest√£o de conflitos, no entanto, o feedback deve ser dado da forma correta.

N√£o √© apenas dizer ‚Äúgostei disso‚ÄĚ ou ‚Äún√£o gostei daquilo‚ÄĚ. O feedback deve ter as seguintes caracter√≠sticas:

 

Seja direto

A pessoa precisa entender de primeira pelo o que est√° sendo elogiada ou o que precisa melhorar. Se ficar espa√ßo para d√ļvidas, o feedback deixa de ser eficaz.

 

Seja específico

Tanto para feedbacks positivos, quanto para construtivos é importante detalhar o que na ação da pessoa motivou o feedback.

Elenque pelo menos 3 motivos pelos quais uma ação foi positiva ou negativa, assim, o profissional que está ouvindo poderá replicar ou evitar de fazê-la.

Sugira uma solução

O feedback não pode criar mais um problema. Se ele for construtivo, além de apontar o que pode ser melhorado, é preciso dizer como isso pode ser feito, dando um norte para o colaborador. 

 

3 passos para criar uma cultura de feedbacks

Para funcionar na gestão de conflitos, os feedbacks precisam fazer parte da cultura do negócio, só assim cumprirão seu papel preventivo. Para tal, o exemplo deve vir dos gestores. 

Para criar uma cultura de feedback é preciso:

 

1. Estar disposto a  ouvir

Especialmente no começo, quando o gestor abrir espaço para ouvir os colaboradores, estes terão muito o que falar. Por isso, mesmo que fuja da intenção inicial do papo, escute o profissional.

Isso vai ajudar a criar uma relação de confiança e a entender quais pontos são sensíveis para este colaborador.. 

 

2. Dê o exemplo

Para funcionar da maneira que deve, um feedback precisa de const√Ęncia e ser estruturado da maneira correta. A √ļnica forma de ensinar isso √© dando o exemplo. D√™ e pe√ßa feedbacks com frequ√™ncia, assim a equipe tender√° a replicar esse comportamento.

 

3. Crie rotinas

Principalmente no come√ßo, o ideal √© criar ‚Äúo dia do feedback‚ÄĚ. Uma vez por semana pe√ßa e d√™ retornos, al√©m de incentivar que as pessoas fa√ßam isso tamb√©m. S√≥ assim, a pr√°tica se tornar√° natural.

Agora que você já sabe como criar uma cultura de feedbacks, teste com a sua equipe. Isso vai fazer com que a gestão de conflitos seja cada vez menos necessária, uma vez que as pessoas entenderão o limite uma das outras, criar uma relação de confiança e colaboração.

Se inscreve a√≠ na nossa news ūü§©

T√° a fim de receber conte√ļdos incr√≠veis como esse direto na sua caixa de entrada? Ent√£o √© s√≥ colocar seu e-mail aqui embaixo e assinar a newsletter do Blog da Feedz!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Artigos relacionados