Setembro Amarelo nas empresas: como abordar e 8 ideias [+ eBook Interativo]

Falar sobre o Setembro Amarelo nas empresas é fundamental. Veja dicas de como abordar o tema e ações para implementar no dia a dia da empresa.

Anualmente, o mês de setembro é marcado pela conscientização e ações realizadas pelas instituições para alertar as pessoas sobre como identificar alguém que precisa de ajuda e o apoio do tratamento psicológico. 

Quando falamos sobre Setembro Amarelo nas empresas, a importância se multiplica ao considerarmos o impacto que o ambiente de trabalho tem na saúde mental dos colaboradores. 

Se você quer entender mais sobre o tema e como abordar a campanha Setembro Amarelo, continue a leitura e não se esqueça de baixar o nosso eBook interativo. 👇

Acessar grátis o ebook interativo + template Questionário de Saúde Mental no Trabalho

O que é Setembro Amarelo?

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre o suicídio, conhecida mundialmente. 

No dia 10 de setembro, a OMS (Organização Mundial da Saúde), criou o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. 

A OMS escolheu essa data para chamar a atenção das pessoas sobre a questão do suicídio, um assunto tabu na sociedade que faz com que muitas pessoas tenham medo pedir ajuda. 

 

Como surgiu a campanha Setembro Amarelo? 

O movimento da campanha do Setembro Amarelo surgiu, primeiramente, nos Estados Unidos. 

Um jovem americano, Mike Emme, era conhecido por sua personalidade carinhosa e habilidade mecânica, capaz de restaurar sozinho um carro Mustang 68 e pintar de amarelo. Mas, com apenas 17 anos, Mike cometeu suicídio. 

Sua família e seus amigos, infelizmente, não perceberam os sinais de que ele pretendia tirar sua própria vida. No funeral de Mike, os amigos fizeram uma ação com fitas amarelas e mensagens oferecendo ajuda, que alcançou grandes proporções e atingiu o país inteiro. 

Por isso, o símbolo da campanha é uma fita amarela, a cor do Mustang de Mike. A cor também é associada à luz, alegria e esperança. 

No Brasil, o projeto de conscientização sobre o Setembro Amarelo acontece desde 2014 por iniciativa da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), o CFM (Conselho Federal de Medicina) e o CVV (Centro de Valorização da Vida). 

 

Qual a importância do Setembro Amarelo? 

Nos últimos anos, temos presenciado um aumento do reconhecimento da saúde mental como uma parte vital do bem-estar geral. De acordo com a OMS, quase 1 bilhão de pessoas vivem com um transtorno mental e esse número só aumenta. 

Movimentos como o Setembro Amarelo são um passo para dar luz a importância da saúde mental, buscando criar espaços seguros para diálogos e reduzir os estigmas associados. 

Esse esforço coletivo tem potencial para reverter algumas das estatísticas alarmantes da OMS sobre suicídio, como, por exemplo: 

  • Em todo o mundo, são registrados mais de 700 mil suicídios (sem contar os casos subnotificados); 
  • Em média, 38 pessoas cometem suicídio por dia no Brasil, ou seja, 14 mil casos por ano; 
  • No Brasil, o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos; 
  • Todos os anos, mais pessoas morrem como resultado de suicídio do que HIV, malária ou câncer de mama – ou guerras e homicídios. 

 

Por que abordar o Setembro Amarelo nas empresas? 

Apesar desses números, o Setembro Amarelo nas empresas ainda é pouco trabalhado de forma efetiva. Algumas já criaram políticas de bem-estar mental, mas ainda é preciso fazer muito mais.

Em ambientes de alta pressão, prazos apertados, e expectativas elevadas, a mente dos colaboradores pode ser profundamente afetada. 

Por isso, cuidar dos funcionários pode ser uma ótima contribuição para o bem-estar e qualidade de vida dos trabalhadores. Os colaboradores precisam estar com saúde mental em dia para realizarem suas demandas com eficiência, motivação e engajamento

No vídeo abaixo, trocamos uma ideia com o pessoal do Guia da Alma sobre como abordar o assunto nas empresas. Dá o play aí e confere! 👇

 

Como o RH pode identificar os fatores de risco? 

Como os RHs são os profissionais que cuidam das pessoas, devem se preparar para perceber cedo os sinais dentro das empresas.

O setor de Recursos Humanos precisa conversar com os funcionários e treinar os líderes das equipes a fazerem o mesmo, a fim de identificar os fatores de risco ao suicídio. 

Como o objetivo é agir para salvar vidas, é preciso buscar maneiras de abordar os colaboradores sobre esse assunto. 

Existem abordagens indiretas, como ações de conscientização através da campanha, benefícios de bem-estar, programas de saúde mental com especialistas da área médica, entre outros. 

E também existem formas mais diretas, como conversas amigáveis entre os profissionais de RH e os funcionários, ou a aplicação de um questionário de saúde mental no trabalho, por exemplo. 

👇 Acesse agora nosso eBook interativo + template

 

8 ideias para setembro amarelo na empresa

As empresas têm uma variedade de opções para integrar o Setembro Amarelo em sua cultura organizacional, criando um ambiente em que os colaboradores se sintam apoiados e valorizados. 

A seguir, listamos algumas ideias de ações de Setembro Amarelo para você colocar em prática na empresa. Confira! 

 

1. Oriente seus funcionários a fazer algumas pausas

Oriente os colaboradores a fazerem pequenas pausas no dia a dia para evitar o esgotamento mental. Além disso, peça que todos os funcionários tirem suas férias, assim que tiverem esse direito. 

Os descansos são importantes para evitar a Síndrome de Burnout, um distúrbio emocional causado pelo excesso de trabalho.

Tirar férias, folgas (ou day off) e pausas ajudam a preservar a saúde mental e acrescentar um novo ânimo na volta do descanso. 

 

2. Cuide do Clima e da Cultura Organizacional 

Criar um ambiente corporativo feliz e saudável é uma tarefa desafiadora para todo profissional de RH. 

Por isso, promova engajamento nas equipes, socialização entre os colaboradores e implemente a cultura do feedback para auxiliar na gestão de conflitos. Os feedbacks existem para ajudar o desenvolvimento e crescimento do empregado, além de ouvir o que ele tem a dizer. 

Procure cuidar desses dois indicadores na sua empresa para tornar um ambiente corporativo mais agradável.

Baixar o guia definitivo para criar um ambiente de trabalho feliz

 

3. Implemente uma ouvidoria interna 

Muitas pessoas que precisam de ajuda tem medo ou vergonha de falar sobre o assunto abertamente. 

Portanto, a implementação de uma ouvidoria interna pode ajudar a conversar com funcionários que desejam se comunicar anônima ou virtualmente, por exemplo. 

Uma ouvidoria interna serve para receber as dúvidas, elogios, reclamações e exposições de problemas relacionados ao trabalho. 

Converse com esses trabalhadores através da ouvidoria para tentar resolver as situações de conflito e estresse no trabalho, além de indicar ajuda especializada, se for necessário.

 

4. Conscientize com as informações corretas 

Busque as informações corretas, como as cartilhas informativas das campanhas do Setembro Amarelo. Esses conteúdos são idealizados por profissionais especializados e ajudam na prevenção ao suicídio. 

Indique ajuda especializada, como o CVV (Centro de Valorização da Vida), que presta apoio emocional voluntariamente, por e-mail, telefone ou chat.

Espalhe as informações na sua empresa e envie os informativos pelos canais de comunicação com o colaborador.

 

5. Crie um programa de bem-estar

A criação de um programa de bem-estar na empresa está relacionado ao bem-estar mental, físico, financeiro e social.

Nesse programa, você pode criar ações para estimular o bem-estar dos funcionários, dentro e fora da empresa. 

Convide especialistas da área para falar sobre cuidados com a saúde mental e suicídio em eventos corporativos. 

Incentive atividades físicas, como a prática de Yoga, que alia exercício físico com meditação, estimulando que o indivíduo libere endorfinas e, ao mesmo tempo, relaxe.

Baixar materiais sobre Segurança Psicológica e Cultura de Feedback

 

6. Ofereça benefícios que cuidem da saúde e bem-estar

Reavalie os benefícios corporativos oferecidos aos trabalhadores para escolher as opções do mercado que cuidem da saúde e bem-estar. 

Muitas pessoas não procuram ajuda de psicólogos por não receberem esse incentivo e por não conseguirem pagar as consultas. 

Existem outros benefícios que também estimulam o bem-estar, como vale-cultura, cursos de capacitação, viagens de premiação, incentivos financeiros, entre outros. 

 

7. Crie um mural de apoio e encorajamento compartilhado

Seja em ambiente virtual ou presencia, o RH pode criar um espaço em que os colaboradores possam postar mensagens positivas, dicas de bem-estar, citações, histórias ou simplesmente palavras de encorajamento e motivação. 

Para evitar postagens inapropriadas ou prejudiciais, os profissionais de RH podem criar um tipo de moderação, para garantir que o conteúdo será positivo e útil. 

 

8. Realize as reuniões one-on-one frequentemente 

Essa é uma prática que se ainda não existe na sua empresa, deve ser implementada quanto antes para colaborar na construção de um ambiente de trabalho que reconhece e valoriza os talentos. 

A reunião 1:1 é um momento em que os profissionais podem compartilhar suas angústias, inseguranças e medos, sem julgamentos. Sendo assim, o gestor pode fazer perguntas como, por exemplo: 

  • Como estão as coisas com você?
  • Está tudo bem com sua família e amigos?
  • Como você se sente em relação à sua carga de trabalho atual?
  • Como você se sente com suas últimas contribuições feitas na empresa?
  • Você está precisando de algumas horas para não pensar em nada?

 

Por meio desse acompanhamento, o gestor pode atuar rapidamente e apoiar o seu liderado para equilibrar ou destravar algo da demanda de trabalho. 

Baixar kit one on one

 

[Download PDF 📥] Planner RH e DP 2024

Se você quiser baixar um calendário 2024 com todas as datas comemorativas para RH e DP, para editar ou imprimir, esse é o material certo!

Organize encargos e obrigatoriedades trabalhistas, eventos da área, dicas de leitura e muito mais. Acesse agora o nosso Planner RH e DP 2024 👇

Acessar a página para baixar o planner RH e DP 2024

Nenhum post relacionado encontrado

Veja o que estão comentando

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Suely Maria de Albuqerque Ugiette
Suely Maria de Albuqerque Ugiette
9 meses atrás

uma questão que impede o acesso e limita é o tal email corporativo,algumas empresas, em especial de pequeno porte não possuem e assim ficam ipedidas de ter acesso a vários conteúdos, outra GRAVE FALHA, TUDO EM INGLES. FERE O PRINCIPIO DA IGUALFAFE E OBRIGA SABER INGLES. SOMOS BRASILEIROS E ESTAMOS NO BRASIL. PODE SER EM VÁRIOS IDIOMAS, PORÉM NÃO PODE SER SÓ INGLES, NOSSA LINGUA OFICIAL É O PORTUGUES

Larissa Gracietti
Larissa Gracietti
9 meses atrás

Olá, Suely!

Muito obrigada pelo seu comentário e feedback! Sua opinião é extremamente valiosa para nós e para a melhoria contínua dos nossos conteúdos.

Com relação à sua observação sobre o idioma, gostaria de esclarecer que o blog post estão inteiramente em português, respeitando a língua oficial do Brasil. Nosso objetivo é sempre tornar o conteúdo acessível para todos.

Quanto ao uso de e-mail corporativo para acessar determinados conteúdos, entendemos que isso pode ser um empecilho para algumas pessoas. Estamos constantemente trabalhando para tornar nossos conteúdos mais acessíveis e iremos considerar sua observação na avaliação de futuras atualizações.

Ficamos à disposição para quaisquer outros esclarecimentos e esperamos que você continue a encontrar valor nos conteúdos que produzimos.

Preencha o formulário abaixo e em breve o nosso time de especialistas entrará em contato!