Setembro Amarelo nas empresas: como lidar com o tema e dicas de ações

Ações de setembro amarelo nas empresas

“Agir Salva Vidas”, esse é o slogan em destaque da campanha do Setembro Amarelo em 2021. Anualmente, o mês de setembro é marcado pelas conscientização e ações realizadas pelas instituições para alertar as pessoas sobre como identificar alguém que precisa de ajuda e o apoio do tratamento psicológico. 

Por isso, nós queremos mostrar como trabalhar o Setembro Amarelo nas empresas para ajudar a salvar milhares de vidas. Saiba mais abaixo!

 

O que é Setembro Amarelo? 

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre o suicídio, conhecida mundialmente.

No dia 10 de setembro, a OMS (Organização Mundial da Saúde), criou o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. 

A OMS escolheu essa data para chamar a atenção das pessoas sobre a questão do suicídio, um assunto tabu na sociedade que faz com que muitas pessoas tenham medo pedir ajuda. 

Foi por conta desses fatores e dos números crescentes de suicídios no mundo, que a ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), o CFM (Conselho Federal de Medicina) e o CVV (Centro de Valorização da Vida), iniciaram um projeto de conscientização sobre o Setembro Amarelo, no Brasil, desde 2015.

 

Como surgiu o Setembro Amarelo? 

O movimento da campanha do Setembro Amarelo surgiu, primeiramente, nos Estados Unidos. 

Um jovem americano, Mike Emme, era conhecido por sua personalidade carinhosa e habilidade mecânica, capaz de restaurar sozinho um carro Mustang 68 e pintar de amarelo. 

Mas, com apenas 17 anos, Mike cometeu suicídio. Sua família e seus amigos, infelizmente, não perceberam os sinais de que ele pretendia tirar sua própria vida.

No funeral de Mike, os amigos fizeram uma ação com fitas amarelas e mensagens oferecendo ajuda, que alcançou grandes proporções e atingiu o país inteiro. 

Por isso, o símbolo da campanha é uma fita amarela, a cor do Mustang de Mike.

 

Setembro Amarelo nas empresas

Segundo a organização da campanha, são mais de 13 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de 1 milhão no mundo todo. 

Além disso, 96,8% desses casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais, como depressão e transtorno bipolar.

Apesar desses números, o Setembro Amarelo nas empresas ainda é pouco trabalhado de forma efetiva.

Algumas empresas já criaram políticas de bem-estar mental, mas ainda é preciso fazer muito mais.

As instituições não podem fechar os olhos para um problema que é tão real e presente na sociedade e em nosso país.

E, como profissionais que cuidam das pessoas, os RH são os que mais devem se preparar para perceber cedo os sinais dentro das empresas.

 

Fatores de risco para o suicídio: como identificá-los?

O setor de Recursos Humanos precisa conversar com os funcionários e incentivar os líderes das equipes a fazerem o mesmo, a fim de indentificar os fatores de risco ao suicídio. 

Existem dois grupos de fatores de risco para o suicídio: modificáveis e não modificáveis.

Os fatores que, se modificados, podem evitar o suicídio, geralmente, são conflitos familiares, indecisão sobre a orientação sexual, sentimentos de desesperança, impulsividade, viver sozinho e outros.

O outro grupo (não modificáveis) já realizaram alguma tentativa prévia de suicídio e possuem a presença de algum transtorno psiquiátrico.

São considerados fatores não modificáveis: perdas recentes, história familiar e genética relacionada com suicídio, componentes genéticos e ambientais envolvidos, eventos adversos na infância e na adolescência, entre outros.

Ambos integrantes dos grupos merecem atenção e indicação à ajuda psicológica, se for necessário.

 

Por que é importante abordar o Setembro Amarelo nas empresas?

O principal motivo para falar sobre Setembro Amarelo na instituição é o desejo de salvar vidas. 

Por isso, cuidar dos funcionários pode ser uma ótima contribuição para o bem-estar e qualidade de vida dos trabalhadores.

Os colaboradores precisam estar com saúde mental em dia para realizarem suas demandas com eficiência, motivação e engajamento.

Então aproveite a campanha do Setembro Amarelo para dar importância aos cuidados das doenças mentais, criação de diálogos abertos e o combate ao preconceito e discriminação no ambiente de trabalho.

 

Como lidar com o Setembro Amarelo nas empresas?

Muitos RHs ainda não sabem como abordar no ambiente de trabalho, afinal, é um tema muito delicado. 

Porém, como o objetivo é agir para salvar vidas, então é preciso buscar maneiras de abordar os colaboradores sobre esse assunto. 

Existem formas mais diretas, como conversas amigáveis entre os profissionais de RH e os funcionários. 

Também existem abordagens indiretas, como ações de conscientização através da campanha, benefícios de bem-estar, programas de saúde mental com especialistas da área médica, entre outros.

No vídeo abaixo, trocamos uma ideia com o pessoal do Guia da Alma sobre como abordar o assunto nas empresas. Dá o play aí e confere! 👇

 

Ideias para setembro amarelo na empresa

Depois de entender melhor sobre o assunto, está preparado para colocar em prática algumas ideias de Setembro Amarelo na empresa? Veja quais são, abaixo!

 

Oriente seus funcionários a fazer algumas pausas

Tudo em excesso faz mal à saúde! Oriente os colaboradores a fazerem pequenas pausas no dia a dia para evitar o esgotamento mental.

Além disso, peça que todos os funcionários tirem suas férias, assim que tiverem esse direito. 

Os descansos são importantes para evitar a Síndrome de Burnout, um distúrbio emocional causado pelo excesso de trabalho.

Tirar férias, day off e pausas ajudam a preservar a saúde mental e acrescentar um novo ânimo na volta do descanso.

 

Cuide do Clima e da Cultura Organizacional 

Criar um ambiente corporativo feliz e saudável é uma tarefa desafiadora para todo profissional de RH.

Por isso, promova engajamento nas equipes, socialização entre os colaboradores e implemente a cultura do feedback para auxiliar na gestão de conflitos.

Os feedbacks existem para ajudar o desenvolvimento e crescimento do empregado, além de ouvir o que ele tem a dizer.

Procure cuidar desses dois indicadores na sua empresa para tornar um ambiente corporativo mais agradável.

 

Implemente uma ouvidoria interna 

Muitas pessoas que precisam de ajuda tem medo ou vergonha de falar sobre o assunto abertamente.

Portanto, a implementação de uma ouvidoria interna pode ajudar a conversar com funcionários que desejam se comunicar anonimamente ou virtualmente, por exemplo.

Uma ouvidoria interna serve para receber as dúvidas, elogios, reclamações e exposições de problemas relacionados ao trabalho.

Converse com esses trabalhadores através da ouvidoria para tentar resolver as situações de conflito e estresse no trabalho, além de indicar ajuda especializada, se for necessário.

 

Conscientize com as informações corretas 

Busque as informações corretas, como as cartilhas informativas das campanhas do Setembro Amarelo. 

Esses conteúdos são idealizados por profissionais especializados e ajudam na prevenção ao suicídio.

Indique ajuda especializada, como o CVV (Centro de Valorização da Vida), que presta apoio emocional voluntariamente, por e-mail, telefone ou chat.

Espalhe as informações na sua empresa e envie os informativos pelos canais de comunicação com o colaborador.

 

Crie um programa de bem-estar

A criação de um programa de bem-estar na empresa está relacionado ao bem-estar mental, físico, financeiro e social.

Nesse programa, você pode criar ações para estimular o bem-estar dos funcionários, dentro e fora da empresa.

Convide especialistas da área para falar sobre cuidados com a saúde mental e suicídio em eventos corporativos. 

Incentive atividades físicas, como a prática de Yoga, que alia exercício físico com meditação, estimulando que o indivíduo libere endorfinas e, ao mesmo tempo, relaxe.

 

Ofereça benefícios que cuidem da saúde e bem-estar

Reavalie os benefícios corporativos oferecidos aos trabalhadores para escolher as opções do mercado que cuidem da saúde e bem-estar.

Muitas pessoas não procuram ajuda de psicólogos por não receberem esse incentivo e por não conseguirem pagar as consultas.

Existem outros benefícios que também estimulam o bem-estar, como vale-cultura, cursos de capacitação, viagens de premiação, incentivos financeiros, entre outros. 

Vai colocar em prática as nossas dicas de ações para o Setembro Amarelo nas empresas? Então pratique em setembro e no todos os meses do ano! 🚀🚀🚀

Se inscreve aí na nossa news 🤩

Tá a fim de receber conteúdos incríveis como esse direto na sua caixa de entrada? Então é só colocar seu e-mail aqui embaixo e assinar a newsletter do Blog da Feedz!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Artigos relacionados