Segurança emocional no trabalho: o que é e como aplicar

O que significa segurança emocional no trabalho? Também conhecida como segurança psicológica, a segurança emocional diz respeito às percepções de um indivíduo sobre as consequências de correr riscos interpessoais

Em outras palavras, se refere a um ambiente onde os funcionários se sentem seguros o suficiente para poder compartilhar seus pensamentos e ideias livremente, sem se preocupar com a possibilidade de estarem se abrindo para reações negativas.

Cada vez mais temos ouvido falar o quanto o estresse e a síndrome de burnout podem afetar seu corpo e a raiva não controlada coloca pressão excessiva no coração e na pressão arterial. Por isso a segurança emocional no trabalho é algo essencial.

O que é segurança emocional no trabalho

A segurança emocional pode ser melhor descrita como “a capacidade de identificar, rotular e expressar o que você está sentindo“, de acordo com Kendra Campbell, professora assistente de psicologia da Universidade do Alasca, em Fairbanks. 

Ou seja, ter segurança emocional no trabalho é você saber como lidar com suas emoções de maneira saudável.

De acordo com um artigo publicado pela Gensler, tendemos a evitar conversas emocionais no local de trabalho.

Por isso, as empresas são vistas principalmente como plataformas para eficiência e produtividade.

No entanto, nesta era de inovação e criatividade, é imprescindível que os locais de trabalho apoiem não apenas bons pensamentos, mas também bons sentimentos. 

É fundamental compreender a importância da segurança emocional no trabalho, pois isso é o que vai equipar o time para fazer um trabalho envolvente, significativo e valioso.

As pessoas precisam sentir uma segurança emocional profunda para abraçar os riscos inatos da exploração, criatividade e inovação. A segurança emocional é a fonte de ação pessoal saudável e coesão da equipe. 

Assim, esse tipo de segurança é estimulado quando os líderes são uma base segura, sendo acessíveis e responsivos a situações de perigo e incutindo confiança de que a exploração de novas ideias é segura.

O artigo continua explicando que isso permite o que os psicólogos chamam de “ruptura e reparo”: o processo pelo qual um membro da equipe pode expressar angústia — o que cria momentaneamente um desequilíbrio relacional ou ruptura —  mas subsequentemente recebe uma resposta reparadora e acolhedora do líder.

Dessa forma, o RH precisa ajudar os líderes a ver a importância de ser essa base segura para os colaboradores.

 

Por que a segurança emocional no trabalho é importante?

Existe uma extensa pesquisa sobre os benefícios da segurança emocional no trabalho. Nós trouxemos algumas dessas pesquisas aqui.

Uma das pioneiras no campo, a professora da Harvard Business School Amy Edmondson, mostrou que essa segurança é um fator crítico para a compreensão de fenômenos como a voz do funcionário, o trabalho em equipe e o aprendizado organizacional e em equipe.

Assim, sentir-se emocionalmente seguro significa que os funcionários se sentem capazes de falar e se comunicar abertamente. Eles não sentem medo de que, ao expressar seus pontos de vista, estejam se tornando vulneráveis ​​a críticas.

Pesquisas de Collins & Smith 2006 e Siemsen et al 2009 descobriram que a segurança emocional ajuda a explicar o motivo de os funcionários se sentirem capazes de compartilhar informações e conhecimento.

Uma sensação de segurança é particularmente importante se os funcionários não tiverem confiança.

O Guia Definitivo para Criar um Ambiente de Trabalho Feliz

 

Como ter segurança emocional no trabalho?

Funcionários que se sentem emocionalmente seguros, especialmente perto de líderes, são mais propensos a inovar e apresentar sugestões para melhorias organizacionais, como explica uma pesquisa da Academy of Management Journal

Eles se sentem capazes de debater ideias e apresentar sugestões sem se sentirem julgados e assumirão um certo grau de risco medido porque, mesmo que a ideia não dê certo, terá ocorrido um aprendizado valioso durante o próprio processo. 

O que realmente importa é que todos trabalhem juntos! Como consequência, as pessoas terão muito menos probabilidade de sentir medo de seus empregos, o que, por sua vez, melhora a cultura geral de bem-estar e cria um ambiente de trabalho saudável.

Veja agora, 10 coisas (traduzidas e adaptadas do Workstars) que o RH pode usar para treinar tanto os líderes quanto os funcionários para melhorar a segurança emocional em seu local de trabalho.

 

1. Aceite cometer um erro

Hoje, o que acontece na sua organização se alguém comete um erro? Para que um funcionário se sinta emocionalmente seguro, ele precisa saber que, se cometer um erro, as pessoas não irão menosprezá-lo.

Ajude a liderança a abraçar ativamente os erros em sua cultura. Até mesmo porque é assim que as pessoas aprendem; na verdade, líderes renomados como o autor de ‘Black Box Thinking’, Matthew Syed, sugerem que essa é a chave para o sucesso.

Equipes que operam mal, onde a segurança psicológica é escassa, possuem maior probabilidade de manter os pequenos erros para si ou até mesmo seguir o fluxo como se nada tivesse acontecido para evitar uma disputa com os superiores.

 

2. Mostre aos funcionários que suas contribuições são importantes

Uma sensação de segurança emocional decorre do sentimento de necessidade. Ou seja, saber que suas contribuições são importantes tranquiliza e dá confiança aos colaboradores.

Não são muitos os empregadores que podem garantir o futuro, mas reconhecer e tranquilizar os funcionários de que eles são valorizados proporciona uma sensação mais forte de segurança em suas funções.

 

3. Dê voz para os colaboradores

Os funcionários precisam ter voz e ser capazes de expressar livremente seus pensamentos e pontos de vista.

Eles precisam sentir que está tudo bem para falar e eles também precisam saber que estão sendo ouvidos. 

Assim, esse é um bom momento para ver como sua empresa permite que os funcionários se expressem e veja se há oportunidades para fazer mais.

Experimente aplicar uma pesquisa de clima para entender mais sobre a segurança emocional no trabalho.

 

4. Comemore as diferenças

Cada pessoa é diferente e isso deve ser reconhecido e valorizado. Em vez de valorizar apenas a obtenção de resultados, certifique-se de que também haja oportunidades para celebrar as diferentes perspectivas que existem dentro de sua empresa. 

 

5. Foque em aumentar a confiança

A confiança genuína se desenvolve à medida que as pessoas formam relacionamentos autênticos e de apoio umas com as outras. 

Ou seja, envolve deixar as pessoas serem elas mesmas e não ter medo de ser um pouco vulneráveis ​​umas com as outras e isso inclui a liderança.

Passando tempo uns com os outros e encontrando maneiras de expressar apreço e apoio, os níveis de confiança e engajamento podem aumentar.

 

6. Incentive a compaixão da liderança

Você diria que os gestores da sua empresa demonstram compaixão e empatia pelos funcionários?

É provável que a maioria deles faça isso, mas às vezes a compaixão pode cair quando a pressão está alta e as pessoas ficam tão envolvidas com o que precisam fazer que é menos provável que registrem as necessidades de outra pessoa. 

Dados todos os desafios que os gerentes enfrentam, isso é compreensível, mas eles precisam ouvir da organização que cuidar de seus funcionários é uma parte importante de seu papel.

Assim, é essencial que líderes e gestores pratiquem a compaixão, tanto para a segurança emocional quanto para o quadro geral de bem-estar.

 

7. Incentive a tomada de riscos

Nenhuma empresa deseja encorajar um comportamento imprudente. Mas, a incapacidade de aceitar um certo grau de riscos e uma intolerância à noção de “fracasso” podem significar que a empresa está anulando uma mentalidade de inovação. 

Locais de trabalho emocionalmente seguros encorajam a tomada de riscos saudáveis. 

Dessa forma, mesmo quando erros são cometidos ou as tentativas não funcionam, incentive seus funcionários a apreciar o momento e tirar valor do aprendizado resultante.

É importante que os funcionários (e a gestão) entendam que riscos e erros podem e serão cometidos ao longo de um processo. Inclusive, esses riscos são importantes para desenvolver um resultado final bem-sucedido.

 

8. Reconheça os esforços

Antigamente, era normal que se seu gerente não estivesse com uma pulga atrás da orelha sobre você, você poderia supor que estava fazendo um bom trabalho.

No entanto, isso não é mais assim. Ou seja, para funcionários mais jovens em particular, o silêncio pode ser ensurdecedor.

As pessoas precisam ser informadas de que estão indo bem através do feedback contínuo. Os funcionários precisam ouvir que seus esforços, assim como seus resultados, são valorizados continuamente.

Dessa forma, eles saberão que o que estão fazendo é visto, valorizado e endossado pelas pessoas ao seu redor, sejam seus gestores, colegas ou liderados. Isso faz com que as pessoas se sintam emocionalmente mais seguras.

Além de promover a segurança emocional, isso lhes dá a garantia de que, mesmo que os resultados não sejam os que esperavam imediatamente, estão fazendo um bom trabalho. Como resultado, eles se sentirão encorajados a continuar tentando e contribuindo.

 

8. Promova a diversidade

Os funcionários que se sentem excluídos por qualquer motivo, terão muito menos chances de se sentirem emocionalmente seguros.

Portanto, observe as etapas que você pode seguir para promover uma maior diversidade e inclusão.

Pense em criar formas de promover maior inclusão e facilitar o engajamento de pessoas que, de outra forma, teriam dificuldade para atender aos requisitos específicos da empresa.

 

10. Crie espaço para feedback positivo

Criar o espaço para facilitar o feedback positivo é uma maneira poderosa de uma empresa encorajar um senso de segurança emocional. 

Quando bem feito, o feedback pode ser uma técnica eficaz para elogiar as pessoas e reforçar comportamentos positivos específicos.

Inclusive, pode ajudar a melhorar o engajamento, a motivação e a conexão. Trata-se tanto de dar feedback quanto de poder recebê-lo, portanto, certifique-se de que todas as solicitações de feedback sejam respondidas de forma rápida e completa.

 

Aplicar a segurança emocional no trabalha compensa o esforço

segurança emocional
Lembre-se, segurança emocional é a capacidade de identificar, rotular e expressar o que você está sentindo.

Podemos concluir que o desempenho dos funcionários vai melhorar como resultado da criação de um local de trabalho psicologicamente seguro. E os funcionários que se sentem seguros e engajados no trabalho possuem menos probabilidade de pedir demissão.

Experimente uma, ou todas, dessas estratégias para construir a segurança emocional no trabalho e veja como isso afeta as equipes e a empresa em geral.

Guia Completo_ Saúde Mental nas Empresas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A plataforma completa para aumentar o engajamento e desempenho de colaboradores

Assine nossa newsletter!

Outros conteúdos que você pode gostar