Pesquisa de clima organizacional: o que é e como utilizá-la da melhor maneira

pesquisa de clima e engajamento

A pesquisa de clima organizacional surge com a mudança do mindset dentro do departamento de recursos humanos. Não é de hoje que os profissionais de RH estão se afastando da subjetividade para se tornarem mais analíticos.

Além de centrado nas pessoas, o novo RH é orientado por dados. É por isso que usar dados reais e concretos passou a ser mandatório para tomar decisões estratégicas e para promover ações no sentido de colocar a cultura da empresa no rumo certo.

Bons gestores de equipe sabem que sempre há algo para melhorar. Mas essas melhorias não devem partir de “achismos”. Contar com a visão prévia do time que será impactado por alguma ação e/ou entender se algo está surtindo o efeito esperado é essencial para ter sucesso em uma estratégia.

A diferença é que agora não é mais necessário esperar longos períodos para medir resultados em uma pesquisa de clima organizacional. Hoje em dia já é possível identificar aspectos com potencial de provocar maior engajamento dentro de uma corporação de uma forma mais rápida e simplificada. 

Para isso, podem ser usadas as chamadas pesquisa de engajamento ou pesquisa pulse ou por pulsos, que cabem como uma luva nesse novo contexto analítico e de transformação digital. 

E com as ferramentas certas, podem ser aplicadas sempre que necessário devido à sua rapidez de implementação.


 

Pesquisa de clima organizacional versus pesquisa de engajamento 💥

A ideia aqui não é privilegiar uma pesquisa à outra. Afinal, uma pesquisa de clima mede algo diferente de uma pesquisa de engajamento. Entre uma ou outra, fique com as duas! Entenda agora o motivo:

 

O que mede uma pesquisa de clima organizacional? 🤔

A pesquisa de clima organizacional é uma das melhores alternativas para entender como está o ambiente organizacional. Ela orienta como guiar o principal ativo de qualquer empresa: seus colaboradores

Deve ser vista como parte do planejamento estratégico da empresa, sendo que o principal objetivo é entender como os colaboradores de um negócio estão se sentindo em suas rotinas.

Contudo, para ser efetiva, o primeiro passo é entender onde a empresa quer chegar com a pesquisa.

Ela pode, por exemplo, ser aplicada para mapear aspectos mais amplos e, depois, outras pesquisas mais rápidas podem ser executadas para compreender melhor alguma dor identificada.

 

O que mede uma pesquisa de engajamento? 👀

A ideia é que uma pesquisa de engajamento ofereça informações sobre como anda o vínculo entre colaborador e empresa.

Ela deve ser feita para identificar o que precisa ser melhorado para que as pessoas se sintam mais felizes e, consequentemente, apresentem atitudes que favoreçam a produtividade.

O engajamento não é algo que deve ser perguntado de forma direta: “você se sente engajado?”. Mas, sim, deve ser medido em um contexto preparado para que seja possível extrair insights sobre como os indivíduos vivenciam subjetivamente sentimentos positivos, como alegria, interesse e atenção.

Essas informações são mais emocionais, portanto, para serem identificadas de maneira factível precisam compor um objetivo claro.

É preciso compreender também que os resultados podem variar de acordo com o clima geral. Está havendo alguma grande mudança na organização ou na sociedade? Então, as informações extraídas devem considerar esses contextos.

Outro aspecto relevante quanto às pesquisas de engajamento é que, diferentemente das pesquisas de clima organizacional anuais, elas podem ser aplicadas em intervalos menores, sempre que for necessário medir algo relevante para a empresa.

Quer ver na prática? 💡

 

Por que ter engajamento é importante? 🤞

De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Gallup em 2017, colaboradores muito engajados ajudam a melhorar diversos indicadores, entre eles a satisfação do cliente. Mas esse não é o único benefício.

Estudos mostram que o maior engajamento está relacionado ao aumento da rentabilidade, produtividade e menor turnover.

Então, de forma direta ou indireta, é possível relacionar os sentimentos positivos a uma série de fatores intermediários como motivação e criatividade. Esses fatores, por sua vez, estão relacionados à performance, produzindo impactos como:

  • melhora do clima organizacional;
  • diminuição das taxas de desligamentos;
  • percepção da empresa como um bom lugar para se trabalhar;
  • impulsionamento do crescimento da empresa;
  • manutenção do alinhamento com o propósito da organização
  • aumento da participação dos colaboradores nas questões internas;
  • desenvolvimento contínuo dos profissionais;
  • elevação da sensação de pertencimento; 
  • reforço do elo entre líderes e liderados;
  • estímulo à reflexão sobre a resolução de problemas.

A lógica pode parecer simples: quanto mais satisfeito o profissional estiver e valor enxergar em seu trabalho, maior será sua produção e rentabilidade para a empresa.

Além disso, profissionais engajados querem crescer junto com a empresa, portanto, estão sempre procurando formas de melhorar o produto ou serviço que oferecem. 

 

Como medir o engajamento dos colaboradores? 📊

Qualquer prática implantada sem ouvir a opinião dos colaboradores tem mais chance de fracassar. Para estimular ambientes mais felizes, é preciso entender os profissionais, saber o que os motiva e o que gera uma experiência positiva para eles no escritório.

A construção de ambientes corporativos que estimulem e valorizem a felicidade e satisfação dos colaboradores é um trabalho que não tem fim. Isso porque as motivações das pessoas mudam ao longo dos anos e as ações de gestão de pessoas precisam acompanhar este movimento.

A metrificação do engajamento pode ser feita por meio de uma pesquisa clara e objetiva, que trará as respostas certas para melhorar. Portanto, ouça o que os seus colaboradores têm a dizer!

 

Como fazer uma pesquisa de engajamento e por onde começar?

Como é possível medir em uma pesquisa aspectos subjetivos, mas que possuem tanto impacto no ambiente organizacional? Será que a receita que funciona em uma empresa é a mesma que funciona em outra? A resposta é não. 

Cada organização deve identificar seus próprios aspectos relevantes na formação de vínculos junto aos seus colaboradores.

Isso significa que o primeiro passo para rodar uma pesquisa de engajamento é definir um objetivo. Para isso, é preciso fazer algumas reflexões:

  • Quais ações já realizadas engajam os colaboradores?
  • Qual o grau de engajamento atual? 
  • O que posso melhorar no negócio para engajar mais?

A melhor maneira de formular uma pesquisa de engajamento é não tentar direcionar as respostas. A ideia é que ela sirva como um espaço aberto para o diálogo. Uma sugestão que reforça essa premissa é fazer a pesquisa de clima organizacional com respostas anônimas.

Mas, existem outras maneiras práticas de elaborar um questionário:

 

Criando uma pesquisa de engajamento

  • Use questões claras e diretas; 
  • Seja objetivo: o número de questões não deve passar de dez; 
  • Preze pela simplicidade tanto nas respostas, quanto na formatação;
  • Não use pesquisas prontas. Cada negócio tem dinâmicas diferentes.  

Além das questões, é importante também pensar no momento da aplicação da pesquisa. Afinal, é essencial que os colaboradores se sintam à vontade para respondê-las.

  • O ambiente deve ser o mais natural possível para o colaborador, sem exigir que ele tenha que separar muito tempo do seu dia para respondê-la;
  • Favoreça que o ambiente seja amigável e sem pressão; 
  • Use uma ferramenta que poupe o tempo do colaborador e também de quem irá fazer a análise dos resultados;

Esta dica pode parecer óbvia, mas não se esqueça de informar aos colaboradores sobre a realização da pesquisa.

 

O que vale a pena ser abordado em uma pesquisa de engajamento? 

A pesquisa de engajamento é um instrumento que contribui para o aprimoramento contínuo de um ambiente de trabalho. A partir dela, é possível ter ferramentas para se estabelecer uma comunicação clara e transparente com os times, entre outros pontos. 

Alguns aspectos que valem a pena ser avaliados são: 

  • análise sobre o ambiente de trabalho;
  • aspectos positivos e negativos em trabalhar na empresa;
  • percepção sobre a atuação dos líderes;
  • relacionamento entre as equipes;
  • perspectivas sobre a evolução da carreira;
  • eficiência dos processos internos;
  • sugestões gerais de melhoria. 

 

Exemplos de perguntas para pesquisa de engajamento

Algumas perguntas básicas para balizar a pesquisa de engajamento são:

  • Quais os pontos aprecia na empresa?
  • Como é a relação com os colegas e lideranças?
  • Quais os pontos devem melhorar na empresa?
  • Como gostaria de crescer dentro da organização?

 

Como aplicar os resultados de uma pesquisa de engajamento?

A pesquisa de engajamento deve ser feita periodicamente para entender como as ações têm surtido efeito. Os resultados de um ambiente com mais ou menos engajamento são perceptíveis no dia a dia, mas o que é positivo para um colaborador hoje, pode ser um fator de desmotivação no futuro.

A intenção de manter um canal de feedbacks aberto é estimular que os problemas sejam resolvidos na hora para que pequenas queixas não se tornem motivos para insatisfação futura. Assim como para valorizar, no momento certo, os feitos dos colaboradores.

A análise das respostas trará uma ideia da taxa de engajamento dos profissionais e ainda um mapa de o que pode ser feito para melhorá-la. Porém, é crucial que atitudes sejam tomadas após esta pesquisa, assim o colaborador sentirá que ela realmente é séria e que sua opinião está sendo levada em consideração.

É preciso compreender também que tanto os objetivos dos executivos mudam, quanto dos funcionários. O trabalho de um RH analítico, portanto, é constante.

 

Unindo as pesquisas de clima e de engajamento

Como já vimos, a pesquisa de clima organizacional e a pesquisa de engajamento devem coexistir.

Para entender o melhor momento para cada uma delas, a área de gestão de pessoas deve estar alinhada diretamente com a diretoria da organização para saber qual o objetivo dos executivos naquele momento.

Algumas dicas para que um RH faça esse processo fluir melhor são:

  1. conhecer o objetivo atual da empresa;
  2. criar pesquisas com as perguntas certas para captar dados de acordo com o objetivo identificado;
  3. contar com as ferramentas certas para a aplicação das pesquisa;
  4. medir nível de engajamento dos colaboradores para que os objetivos da empresa possam se concretizar;
  5. analisar as informações de maneira analítica e questionadora;
  6. montar e implementar um plano de ações;
  7. refazer tudo sempre que necessário.

Agora é com você!

Saiba como a Feedz pode ajudar você a construir ambientes de trabalho mais positivos 😉

Veja também as três técnicas de engajamento de empresas de sucesso;


CEO e Co-founder na Feedz. Trabalha com TI desde 2006 e, nos últimos anos, concentrou os esforços para criar produtos e liderar equipes para entender seus propósitos e criar uma versão melhor de si mesmas.
Back To Top