Horários flexíveis: será que realmente funciona e vale a pena?

Mulher de costas trabalhando e olhando para o relógio de pulso.

Qual diferencial a sua empresa oferece para conquistar os melhores talentos do mercado? Durante muito tempo, a resposta para essa pergunta foi o salário. Mas, nos dias de hoje o que tem atraído muitos profissionais é a possibilidade de trabalhar em horários flexíveis.

Os motivos que levam as pessoas a buscarem horários de trabalho flexíveis são os mais variados. Tem quem busca liberdade, quem quer fugir do trânsito intenso.

Alguns precisam conciliar trabalho e estudos, outros desejam mais tempo com os filhos. Resumindo, o trabalho com horário flexível é sinônimo de qualidade de vida. 

Mas, a pergunta que todo RH faz é: “será que horário flexível de trabalho vai dar certo na minha empresa?” Reunimos aqui várias informações que irão ajudar você a decidir se vale a pena implantar horários flexíveis.

 

Como funciona o trabalho com horários flexíveis?

Algumas empresas ainda não compreenderam o conceito do horário de trabalho flexível. Outras não sabem como implantá-lo.

Então, para que não restem dúvidas, vamos esclarecer como funciona essa jornada de trabalho que tem conquistado cada vez mais adeptos.

O dicionário Aurélio define a palavra flexível como algo que é fácil de manejar, que é maleável. Se na sua empresa a flexibilidade da jornada funciona assim, está tudo certo. 

Porém, se é algo complexo, difícil, que demanda muito esforço ou envolve muitas pessoas para aprovar uma alteração de horário, é provável que algo esteja errado.

Mas, calma! Talvez, você só precise de um pouco de informação para compreender melhor e resolver isso. Vem com a gente!

 

A empresa dos sonhos 

Um estudo feito pela Revelo, startup de recrutamento, identificou os principais diferenciais da “empresa dos sonhos”. São eles: 

  • horário flexível;
  • home office;
  • salário acima da médio do mercado; 
  • compromisso com a diversidade, sustentabilidade e outros propósitos;
  • participação nos lucros e resultados;
  • bônus por performance. 

O horário de trabalho flexível e o home office tiveram 69% da preferência. Já o salário foi mencionado somente por 36% dos profissionais. Portanto, a flexibilidade já é vista como uma prática de employer branding.

 

O horário flexível na prática 

Oferecer horários flexíveis significa dar autonomia aos colaboradores para que definam quando cumprirão sua jornada de trabalho. Este formato pode ser tanto presencial, na sede da empresa, quanto em home office.

Perceba que horário flexível e home office não são sinônimos, embora muita gente ainda confunda.

A empresa pode autorizar o home office, mas exigir o cumprimento da jornada em horário comercial; exigir a presença no escritório e permitir o horário flexível; ou optar por um modelo híbrido, que mescla os dois formatos.

É importante ressaltar que não existe um certo ou errado, depende muito do segmento de atuação e atividade exercida pelos colaboradores. Uma fábrica não consegue oferecer flexibilidade ou home office a todos os colaboradores, pois a produção seria interrompida. 

Então, antes de implantar o horário flexível de trabalho é imprescindível definir como a flexibilidade vai funcionar. O propósito é facilitar a compreensão de todos, principalmente sobre compromissos coletivos e evitar ruídos de comunicação.

Alguns alinhamentos que devem ser feitos para o horário flexível funcionar são:

  • Qual jornada de trabalho cada colaborador deve cumprir?
  • Quais horários (ou dias) o colaborador deve trabalhar?
  • Quais horários (ou dias) é obrigatória a presença na empresa?
  • Qual carga horária máxima o profissional pode fazer por semana?
  • O colaborador pode fazer banco de horas e se ausentar quando precisar ou desejar?

 

É possível ser mais produtivo com horário flexível de trabalho?

Um estudo desenvolvido pelo International Workplace Group (IWG) com cerca de 15 mil profissionais revelou que o horário de trabalho flexível aumenta a produtividade em 85%. Os principais motivos apresentados para melhorar o desempenho são: 

  • empoderamento do colaborador;
  • cultura corporativa de confiança;
  • local e horário mais adequado;
  • menos estresse com deslocamentos;
  • melhor qualidade de vida.

Manter a produtividade com horários flexíveis é uma preocupação muito comum. E, de fato, a flexibilidade não funciona bem para qualquer um. Pode ser que alguns colaboradores tenham mais dificuldade em manter o foco e alcançar suas metas.

As lideranças e o próprio RH podem (e devem) estimular a autogestão. Seja por meio de feedbacks, one-on-one, ferramentas ou capacitações que ajudem os colaboradores a gerirem suas atividades durante a jornada de trabalho.

 

7 dicas para aumentar o engajamento e a motivação em home office

 

Quando o trabalho com horário flexível acontece em home office é imprescindível usar a tecnologia para manter o alinhamento. A vantagem é que existem softwares para a comunicação, gerenciamento de atividades e para manter o engajamento dos colaboradores. 

Aqui na Feedz, por exemplo, nós já usamos o Slack e atualmente nossa comunicação é via Discord. Já para o gerenciamento de atividades, cada área tem autonomia para escolher a ferramenta que mais se adapta às necessidades. 

Os softwares simplificam muitos processos. Atualmente é possível fazer desde pesquisa de clima, avaliação de desempenho e até feedbacks de forma simples e atrativa. Inclusive, a gamificação é uma excelente estratégia para aumentar o engajamento e a produtividade com diversão.

 

Coronavírus

A pandemia causada pela Covid-19 forçou muitas empresas a aceitar o home office ou flexibilizar o horário de trabalho. Um estudo divulgado pela Agência Brasil afirma que 46% das organizações optaram pelo trabalho remoto.

Quem não estava preparado para essa mudança teve que correr em busca de tecnologias para auxiliar na gestão. O mesmo estudo identificou que 67% das empresas tiveram dificuldade para implantar o home office. 

Mas, o problema que deixou o mundo inteiro no olho do furacão também trouxe coisas boas. Metade das empresas que responderam à pesquisa afirmaram que a experiência superou as expectativas e 29% pensa em manter o formato de trabalho. 

E aí, você acredita que a experiência do home office vai mudar a forma como trabalhamos para sempre?

 

Empresas que aderiram ao horário flexível de trabalho

As grandes empresas de tecnologia, principalmente as do Vale do Silício, são conhecidas por seus escritórios coloridos que deixam o ambiente de trabalho mais divertido. Porém, o investimento em mesas de ping-pong e pebolim talvez não seja mais o ponto alto da inovação. 

Google e Facebook já operam no formato remote first, recentemente o Spotify também aderiu. Aqui no Brasil a XP lidera esse movimento, que se fortaleceu entre as empresas de tecnologia Inclusive, a maioria transformou seus escritórios em coworking e adotou o formato híbrido ou completamente remoto.

A escritora americana Joanna Barsh, de Centered Leadership, garante que o horário flexível de trabalho será o principal atrativo para conquistar os melhores talentos.

De fato, se olharmos o movimento das grandes empresas está voltado para estruturar cada vez mais seus programas de marca empregadora para atrair e reter os melhores profissionais. Listamos abaixo alguns exemplos:

 

Dropbox

Você considera que as inúmeras reuniões ao longo do dia interferem na sua produtividade? Logo, não dá pra ter horário flexível quando você precisa participar de muitos compromissos.

Para resolver esse problema o Dropbox instituiu que às quartas-feiras são sem reuniões. 

Além do horário flexível nos demais dias da semana, os funcionários têm as quartas-feiras completamente livres. Assim, cada um trabalha no horário e local que preferir (e sem interrupções). 

Segundo a global head of people partner do Dropbox, Melanie Collins, quando os profissionais trabalham em horários flexíveis ficam mais engajados. A empresa também percebeu que a flexibilidade gerou um aumento de 10% no equilíbrio entre a vida profissional e pessoal dos colaboradores

Produtividade no trabalho: como equilibrar liberdade e exigência

 

Asana

Na Asana as equipes se reúnem a cada quatro meses para definir metas e resultados. A partir disso cada colaborador faz a sua parte para que os objetivos sejam alcançados. Isso elimina muitas reuniões e favorece os horários flexíveis. 

A empresa estimula que os profissionais trabalhem diariamente, mas cada um define o seu próprio horário. As folgas também são liberadas. A única obrigação que o colaborador tem é cumprir a sua parte nas metas e participar dos compromissos com sua equipe. 

Outro diferencial da Asana é que os funcionários com mais de três anos de casa têm direito a um período sabático de seis semanas. Este benefício não está diretamente ligado ao horário de trabalho diário, mas sim a uma jornada flexível.

 

Dell

Já parou para pensar que o horário de trabalho flexível também pode gerar economia? Foi o que aconteceu na Dell. Segundo o vice-presidente de RH da companhia, Steve Price, a flexibilidade aumentou a satisfação dos profissionais e ainda gerou uma economia de 21 milhões de dólares em custos imobiliários (isso só em três anos). 

Inicialmente a Dell implantou o horário flexível de trabalho para cerca de 25 mil funcionários. A meta era dobrar este número até 2020.

O que equivaleria a 50% da sua força de trabalho. Com a pandemia é possível que o percentual tenha sido ainda maior.

 

5 dicas para o seu RH implantar o trabalho com horário flexível 

Você finalmente está convencido de que o horário de trabalho flexível pode trazer benefícios para a sua empresa. Então, chegou a hora de colocar a mão na massa e nós temos algumas dicas:

 

1. Avalie o perfil dos profissionais

Antes de apresentar a novidade você pode fazer uma pesquisa rápida com os colaboradores para entender a percepção sobre a flexibilidade de horário.

O resultado indicará eventuais pontos de atenção, colaboradores que precisarão de cursos, treinamentos etc.

Fique atento às próximas contratações, para que os novos colaboradores tenham o perfil de autogestão. Com isso, estarão aptos a trabalhar em horários flexíveis ou em home office.

 

2. Defina as alternativas de flexibilidade

Este é um ponto muito importante para que a mudança tenha sucesso. A empresa deverá definir qual será o formato de flexibilidade oferecido.

 

Horário fixo variável

Apresente algumas possibilidades de jornada de trabalho para que o colaborador escolha a mais adequada ao seu perfil ou necessidade. A carga horária deve ser cumprida, mas o profissional escolhe o horário que iniciará o expediente: às 8h, 10h, 12h ou 13h.

 

Horário variável

Neste caso, o colaborador deve cumprir alguns horários estabelecidos pela empresa, mas tem a liberdade de escolher como cumprirá o restante.

Um exemplo é trabalhar obrigatoriamente todas as manhãs e ter a liberdade de escolher quando completará sua carga horária diária.

 

Horário livre

O colaborador tem total liberdade para definir a  sua jornada de trabalho. Não existe obrigatoriedade quanto horários e intervalos, mas a carga horária deve ser cumprida. Vale lembrar que em alguns momentos, previamente acordados, o profissional deverá interagir com seus líderes e colegas.

 

Home office

Os colaboradores trabalham de qualquer lugar. Pode ser de casa, de um coworking, um café ou hotel. O importante é cumprir suas atividades e comparecer aos compromissos online, não importa onde esteja.

O papel da empresa é oferecer todo o suporte necessário para que o profissional tenha uma boa estrutura física ou digital para que sua experiência seja positiva.

 

Formato híbrido

Neste modelo os colaboradores trabalham alguns dias em formato presencial, na sede da empresa, e em outros ficam em home office.

 

3. Valide a proposta junto ao Sindicato laboral

Lembre-se de validar a proposta de horários flexíveis junto ao sindicato laboral. Essa questão está prevista pela legislação trabalhista brasileira. Portanto, o modelo escolhido deve ser formalizado por meio de acordo ou convenção coletiva.

 

4. Implemente a mudança

Tudo pronto, é hora de colocar o plano em prática. Forneça todas as orientações necessárias para não deixar dúvidas. Aproveite o momento para fortalecer a cultura de confiança e autonomia.

 

5. Atualize regularmente os benefícios 

Avalie os resultados alcançados a partir da implantação do horário flexível de trabalho e identifique melhorias que possam ser feitas. Talvez estabelecer um dia sem reuniões ou um período da semana livre.

Enfim, observe os interesses dos colaboradores e atualize regularmente os benefícios oferecidos pela empresa. Quem sabe daqui a pouco a empresa cria um programa para começar o fim de semana mais cedo ou até oferecer um período sabático.

Por fim, talvez o grande segredo para o sucesso da jornada de trabalho com horário flexível é o equilíbrio. Tanto empresa, quanto colaborador precisam compreender que existe o momento de foco e produtividade e a hora das pausas e do descanso.

Afinal, ninguém consegue manter a alta performance o tempo todo. O ócio também favorece a criatividade. 

Como funciona a jornada de trabalho aí na sua empresa? Qual o modelo escolhido e os resultados alcançados?

Professor, publicitário, pós-graduado em marketing digital, CMO & Co-founder na Feedz.
Back To Top