5 passos para construir um modelo de gestão transparente no trabalho

Modelo de gestão transparente no trabalho

A informação é o bem mais precioso da atualidade. Em um mundo hiperconectado, as pessoas estão acostumadas a se informarem o tempo todo. Por isso, dentro das empresas, é preciso prezar por um modelo de gestão transparente

Por estarem inseridas nesse contexto, as pessoas estão acostumadas a participarem de decisões — ou pelo menos terem a sensação de que estão acompanhando os fatos em tempo real. 

Sendo assim, as empresas que mantêm um estilo de gestão pouco transparente e escondem as decisões dos colaboradores, causam estranhamento. Não é como se as pessoas fossem cobrar que as informações relevantes fossem divididas com todos, mas a falta de transparência impacta diretamente na motivação, engajamento e, consequentemente, no turnover. 

O mercado também cobra isso das empresas. Relatórios de sustentabilidade, de diversidade e inclusão, balanços e exposição do dia a dia do negócio são cada vez mais cobrados por investidores, parceiros e potenciais clientes.

A informação deixou de ser privilégio de poucos. Para que uma empresa consiga construir uma cultura forte e se posicionar de forma positiva no mercado, um modelo de gestão transparente é essencial.

Vem com a gente ver o que é e como construir  uma gestão transparente.

 

O que é um modelo de gestão transparente?

Um modelo de gestão transparente prioriza a democratização da informação. Ele não prega que todos os dados de um negócio ou de uma área específica sejam compartilhados, mas sim que as informações importantes cheguem a todos

Assim, as hierarquias fixas e que tornam as empresas obsoletas são desfeitas. Todas as pessoas podem participar das decisões e estar a par da situação da empresa, em diferentes níveis. 

Dentro de uma equipe, por exemplo, o líder pode compartilhar informações como:

  • mudança no orçamento;
  • resultados obtidos pela empresa;
  • previsão de entrada de clientes;
  • mudança no organograma da empresa;
  • mudanças previstas na política do negócio;
  • entre outros. 

Assim, os problemas de comunicação interna são reduzidos e os colaboradores sempre sabem o que esperar. Se, de antemão, os profissionais sabem que vai haver uma mudança no organograma e sua área vai pertencer a uma nova equipe, podem se preparar, opinar sobre a mudança e propor formas de fazer com que ela funcione melhor. 

Além de melhorar a motivação e o engajamento, isso faz com que os profissionais se sintam responsáveis pelos resultados da empresa e colaborem para impulsioná-los. 

Um modelo de gestão transparente ainda pode estar presente:

– no RH, com a comunicação de desligamentos, contratações, reconhecimentos, entre outros;

– entre líder e liderado, por meio de one-on-ones e feedbacks estruturados;

– entre membros de uma mesma equipe, com o compartilhamento de ideias e evolução de projetos. 

– entre membros de equipes diferentes, com a comunicação do andamento dos projetos e impacto que o trabalho de um time tem no outro.

Ah, lembrando que as reuniões de check in de OKR são momentos excelentes para que todos da empresa saibam sobre a evolução das metas.

 

Benefícios de um modelo de gestão transparente

Um modelo de gestão transparente traz benefícios, como:

  • maior engajamento, ao passo que todos entendem para que lado a empresa está indo e se sentem parte da decisão;
  • maior motivação, já que os planos do negócio são expostos e as expectativas são alinhadas;
  • menor turnover, uma vez que pessoas engajadas e motivadas tendem a não quererem trocar de emprego;
  • atratividade de talentos, por conta dos resultados e possibilidades reais expostas pela empresa;
  • maior colaboração, ao passo que as pessoas sabem como podem ajudar seus colegas ou outras áreas.

 

Como ter transparência durante o home office

Dentro de um contexto de home office, estimular a transparência se torna ainda mais relevante. Assim, esses benefícios também são sentidos mesmo com a equipe fisicamente separada. 

Durante o trabalho não presencial, muitas pessoas se sentem inseguras quando há um desligamento, por exemplo. Ou ainda perdem a confiança em compartilhar projetos e ideias com outras pessoas. 

Em uma empresa com modelo de gestão transparente isso é mais difícil de acontecer, já que as pessoas estão acostumadas a compartilhar projetos sem medo. Além disso, sabem o momento da empresa e entendem melhor desligamentos pontuais.

Com toda a equipe na mesma página e motivada, a produtividade também é beneficiada. Se as pessoas sabem que a meta está próxima de ser alcançada, vão trabalhar com mais afinco para atingir o resultado.

 

5 passos para construir um modelo de gestão transparente

Para alcançar esses benefícios, no entanto, a empresa precisa ter um modelo de gestão transparente bem construído. Confira 5 passos para fazer isso: 

 

1. Invista na comunicação

Transparência sem comunicação não existe. Para que você realmente consiga praticar um modelo de gestão transparente, é preciso investir (e muito!) em comunicação. 

Mas não em qualquer comunicação. Principalmente com os Millennials ocupando cada vez mais postos de trabalho nas empresas, é preciso criar um ambiente onde a comunicação realmente se conecte com esses jovens. Não adianta falar e não ser ouvido.

Além disso, é importante incentivar que os profissionais interajam com os comunicados. Assim, todos se sentem à vontade para dar opiniões ou sugestões de acordo com a informação passada. Isso ajuda a construir uma empresa mais transparente e colaborativa.

 

2. Democratize o processo de tomada de decisão

Mais do que apenas informar, um modelo de gestão transparente prevê uma construção coletiva, onde todos podem colaborar. Portanto, é importante que  se coloque os colaboradores dentro dos processos de tomada de decisão, sempre que possível.

Além  de aumentar o engajamento, isso vai trazer novas ideias para solucionar problemas e pode melhorar o desempenho da equipe e da empresa como um todo.

 

3. Desburocratize  o negócio

A burocracia é inimiga da transparência. Quando uma decisão precisa passar por muitas mãos antes de ser pública ou é preciso muitas autorizações para colocar uma ideia em prática, as pessoas tendem a se desmotivar. 

Facilitar os processos e os deixar mais colaborativos — e menos burocráticos — ajuda a construir um ambiente mais transparente. 

 

4. Estimule a troca entre líder e liderado

Você já deve saber que 8 em cada 10 colaboradores se demitem por causa de seus chefes, né? Desconstruir a barreira entre líder e liderado é um passo importante para tornar a empresa mais transparente. Liderados que têm medo de falar com seu gestor, perguntar sobre a situação da empresa ou de seu setor tendem a ficar mais desmotivados.

Quando o liderado se sente à vontade para cobrar seu gestor, a informação encontra um caminho de fluidez. 

 

5. Recrute certo

Quando se faz o fit cultural na hora da contratação de um novo talento, é preciso levar em conta o quanto essa pessoa está confortável com a transparência. Assim,  é possível garantir que o time será formado por profissionais que tendem a compartilhar a informação e gostam de participar das decisões. 

Um modelo de gestão transparente, portanto, é construído por todos do negócio. À medida que as pessoas se sentirem confortáveis para dividir seus projetos e a empresa estimular o compartilhamento de informações, a transparência passa a fazer parte da cultura do negócio, trazendo todos seus benefícios.

Se inscreve aí na nossa news 🤩

Tá a fim de receber conteúdos incríveis como esse direto na sua caixa de entrada? Então é só colocar seu e-mail aqui embaixo e assinar a newsletter do Blog da Feedz!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Artigos relacionados

cultura-de-feedback
Cultura de feedback: o que é e como implementar

Ter uma cultura de feedback é a solução para diversos problemas corporativos como falta de motivação, de propósito, desencontro de informações, falta de alinhamento, entre outros.