7 dicas para diminuir a rotatividade de colaboradores na sua empresa

Descubra como diminuir a rotatividade de colaboradores na sua empresa com essas dicas que preparamos para você.

A rotatividade de colaboradores tira o sono de muitos gestores de RH. Até 2014, em um senso do IBGE sobre turnover, a média de permanência do brasileiro em um mesmo emprego era de cerca de três anos.

A falta de capacidade das empresas de reter os talentos faz com que o quadro de trabalhadores seja atualizado constantemente. Isso gera um custo de desligamento e contratação, além da falta de especialistas no core business do negócio.

O que é rotatividade de colaboradores?

A rotatividade de colaboradores é a quantidade de desligamentos e admissões que há em uma empresa. Também chamada de turnover, é um indicativo de instabilidade em organizações, sendo necessários esforços para reduzir a taxa. 

O cenário é o seguinte: depois de três anos, quando o profissional está adaptado às rotinas, entende o modelo de negócio por completo e se sente confortável em ser criativo e propor novas soluções, ele sai da empresa e é preciso treinar alguém totalmente novo.

As empresas inovadoras têm investido em técnicas para mudar esta realidade. A fim de reter talentos, elas oferecem um ambiente de trabalho agradável, onde o profissional encontra propósito, felicidade e oportunidade de crescer. O primeiro, e mais importante, passo, porém, para  evitar o turnover é garantir contratações certeiras. 

Se a pessoa tiver fit com a cultura do negócio e um perfil alinhado com os  valores da empresa, a chance de retê-la é potencializada. Fazer a contratação certa, entretanto, é um desafio.  

guia completo sobre turnover

 

Quais motivos levam à alta rotatividade de colaboradores nas empresas?

Má gestão

Esse é um problema que acarreta outros problemas. Um gestor ruim é incapaz de reter talentos, levando à rotatividade de funcionários.

Essa inaptidão leva a reclamações frequentes e, dessa forma, a mais rotatividade. Por exemplo, eles dizem que os funcionários hoje em dia fazem muito “corpo mole”, sem refletir nas reais necessidades destes.

Por isso é necessário que os gestores estejam aptos a lidar com sua equipe e extrair dela o melhor. Isso fará com que saibam contornar, por exemplo, o segundo motivo:

 

Conflitos entre funcionários

Outro fator que gera rotatividade de pessoal é a má administração de conflitos. O choque entre personalidades diferentes pode gerar problemas que parecem incontornáveis, mas são.

 

Falta de identificação do colaborador com a cultura organizacional

Um processo seletivo deve focar no “seletivo”, não apenas no “processo”. Por quê? Para que os colaboradores escolhidos se sintam pertencentes à empresa em que trabalham e, assim, sejam engajados e participativos.

Podemos dizer que um bom processo seletivo é um dos maiores responsáveis pela redução na taxa de rotatividade.

 

Sobrecarga

Alguns gestores sentem orgulho de sobrecarregar seus funcionários. Dizem que o emprego é apenas para aqueles que conseguem lidar com muita pressão.

É verdade que alguns trabalhos são naturalmente estressantes e desgastantes, como é o caso dos médicos que lidam com a vida e a morte. Em outros casos, no entanto, o estresse e a sobrecarga são apenas uma má administração.

O trabalho não precisa ser estressante. E, por não enxergar dessa forma, alguns gestores lidam com o preço a ser pago: o turnover e os gastos constantes com processos seletivos ineficientes.

 

Salários insuficientes e promoções inexistentes

Muitas vezes a única forma de um colaborador prosperar financeiramente é arrumando um novo emprego. Quando não ocorrem aumentos em resposta ao desempenho, nem muito menos promoções, é bem provável que haja rotatividade alta.

Mas como calcular o que é um índice saudável e o que não é?

 

Como calcular o índice de rotatividade de colaboradores na empresa?

Para controlar um indicador, é necessário mensurá-lo. E, no caso da taxa de turnover, é possível calcular de uma forma bem simples:

O número de admissões deve ser somado aos desligamentos. Após isso, divida o total por 2. Em seguida, divida esse número pelo total de colaboradores que há na empresa.

Esse é o índice de rotatividade em seu negócio. É saudável que essa taxa se mantenha abaixo de 10%, podendo-se dizer que 5% é um número saudável. 

CTA_-Calculadora-Turnover

 

7 dicas para diminuir a rotatividade de colaboradores na sua empresa

Se você procura formas de reduzir o turnover na sua empresa, comece com essas dicas:

 

1. Procure no lugar certo

Saber buscar o profissional ideal é essencial para uma boa contratação. Se o perfil que a empresa procura é de uma pessoa conectada, antenada nas novidades e moderna, o LinkedIn é o lugar certo para divulgar as vagas. 

Agora, se o negócio precisa de uma pessoa mais técnica, com um perfil mais sênior, talvez o ideal seja procurar alguém por indicação. Esse perfil de profissional provavelmente está atuando em grandes players do mercado, por exemplo. 

Outro ponto importante é que, se a empresa busca pessoas diversas para amplificar a visão do time, não adianta buscá-las nos mesmos ambientes de sempre. 

Por exemplo, em cidades menores é comum que grande parte dos colaboradores venham de uma mesma instituição. No entanto, isso não ajuda a pluralidade dentro das empresas. Por isso é necessário amplificar e olhar além. 

 

2. Olhe além do currículo

As pessoas são muito mais do que as experiências que colocam no currículo. Olhar para além das competências elencadas ali é essencial para não perder um talento ainda na fase das entrevistas

Muitas vezes uma pessoa com grande potencial tem pouca experiência e é dispensada sem nem poder mostrar o seu diferencial. Nestes casos, o ideal é elencar o que o profissional precisa ter para a vaga.

Por exemplo: precisa ser proativo, ter bom relacionamento interpessoal e ser interessado em evoluir na empresa. Assim, é possível escolher o colaborador pelo o que ele irá entregar à empresa, e não pelo o que já fez na vida.  

 

3. Faça as perguntas certas

As tradicionais perguntas de entrevistas na maior parte das vezes não nos dizem nada. Saber como a pessoa se descreve e o porquê de estar se candidatando à vaga não traz informações realmente relevantes para tomar a decisão de contratação. 

É preciso fazer as perguntas certas na entrevista para poder entender realmente qual profissional se encaixa na vaga. As perguntas certas variam de acordo com o perfil e o objetivo do cargo a ser preenchido.

Se o cargo exige trabalho em grupo e traz desafios diários, por exemplo, quais perguntas podem ser feitas? Nesse caso, envolveriam como o profissional resolveria tal problema e como dividiria tais funções.

 

4. Analise a capacidade técnica

Olhar para além da formação e experiência é essencial para encontrar profissionais qualificados. Mas, se o cargo exige capacidade técnica, esta precisa ser testada. 

Muitas empresas já dispensaram a necessidade de diploma para a contratação, substituindo-a por um teste técnico. Dessa forma, o negócio faz a contratação de acordo com o que o profissional sabe, não simplesmente onde estudou. 

Rodar testes rápidos é a melhor forma de saber a capacidade do candidato de executar as funções que o cargo exige. A formação na área deve ser encarada como uma vantagem, mas não necessariamente como linha de corte. 

 

5. Garanta o alinhamento com a cultura

Outro ponto essencial é garantir que o profissional irá se sentir bem na empresa. Isso se mede com o alinhamento à cultura. Se ele for contratado mas o ambiente não lhe motivar a executar suas tarefas diárias, em pouco tempo este procurará outra oportunidade. 

Por isso, contratar pensando na adaptação do profissional à cultura do negócio é essencial para diminuir o turnover. 

Esse alinhamento deve ser entendido por meio do comportamento do profissional nas entrevistas e das respostas a perguntas relacionadas ao modo como este trabalha. Busque entender qual é o seu propósito e o que lhe engaja, por exemplo. 

 

6. Cuide para que os benefícios sejam reais

Os benefícios oferecidos aos seus colaboradores precisam estar alinhados não apenas com demandas de mercado, mas com utilidades reais aos colaboradores. Pode ser que um benefício pareça bom, mas não tenha real utilidade para seus funcionários.

Busque entender o que é necessário e conheça os integrantes de sua organização. Para isso, é útil prestar atenção à última dica:

 

7. Garanta que sua empresa tem boas lideranças

Líderes com atenção aos seus colaboradores são necessários para reduzir o turnover. Como vimos, grande parte do problema que gera a rotatividade é a má gestão, de modo que a questão pode ser solucionada na raiz.

Na sua empresa, quais técnicas são utilizadas para garantir a contratação certa e a redução da rotatividade de colaboradores? Conte pra gente! 

Turnover e Rotatividade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A plataforma completa para aumentar o engajamento e desempenho de colaboradores

Assine nossa newsletter!

Outros conteúdos que você pode gostar