Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O que é RH 5.0 e por que ele foca no bem-estar dos colaboradores?

A área de Recursos Humanos está em plena transformação e tem um novo desafio pela frente com o RH 5.0: reverter o conceito da segunda revolução industrial, onde os funcionários eram considerados “recursos”. 

O mundo mudou para sempre e isso implica na forma como o trabalho das pessoas é visto.

Neste artigo, vamos ver o que é o RH 5.0, seus benefícios e por que ele foca no bem-estar dos funcionários.

 

O que é RH 5.0?

O RH 5.0 surgiu para priorizar os modelos de cooperação e bem-estar nos ambientes de trabalho. 

Tradicionalmente, os estilos de liderança geralmente se concentram em punir os erros, desencorajando os funcionários que desejam apresentar propostas. 

No entanto, o RH 5.0 procura ver as coisas de um ângulo diferente, por exemplo, perguntando, como faço para ajudar os funcionários a se tornarem realizados?

Para que uma abordagem de bem-estar no trabalho funcione, um dos segredos mais básicos, que não é fácil de alcançar, é treinar os gerentes para encorajar os funcionários a redescobrir seu propósito no local de trabalho.

 

Essa tendência envolve cinco principais mudanças ou evoluções: 

  1. Focar no bem-estar dos colaboradores. Uma das principais mudanças do RH 5.0 é a mudança da gestão de pessoas para a gestão de relacionamentos.
    No novo RH, se deve enfatizar o fator humano e passar dos recursos humanos às relações humanas.
  2. Em segundo lugar, mudar a mentalidade de custo para valor. Ou seja, no RH 5.0 se pensa muito mais em criar valor através dos colaboradores, pois se sabe que quem faz inovação não é a empresa, mas sim as pessoas que a compõem.
  3. Terceiro, mudar o digital de intangível para tangível, ou seja, é preciso começar a medir o impacto positivo que as pessoas desempenham na inteligência artificial e começar a usar indicadores de negócios.
  4. Gerar bem-estar nos ambientes de trabalho. As organizações devem entender que bem-estar não é apenas ter bons escritórios, mas criar uma cultura organizacional onde o  bem-estar é o ponto que mais deve ser valorizado.
    Reconhecer os funcionários como seres humanos e demonstrar preocupação genuína com seu bem-estar é o princípio central do RH 5.0.
  5. Finalmente, passar da mentalidade da experiência do cliente para a experiência do colaborador. É preciso valorizar os seus colaboradores e criar uma cultura onde as pessoas promovam a marca da organização. 

Isso só será possível se as organizações colocarem seus colaboradores em primeiro lugar. 

 

Benefícios do RH 5.0 por focar no bem-estar dos colaboradores

bem-estar dos colaboradores

1. Melhora a retenção de funcionários.

Os funcionários felizes ficam na empresa, os infelizes vão embora. Se os funcionários não se sentem valorizados ou compreendidos por seus gerentes, eles não ficarão por muito tempo trabalhando. 

Geralmente, funcionários que pedem demissão citam a má gestão como motivo para sair

O RH 5.0 ajuda as empresas a conectar seus gerentes e funcionários para criar uma cultura de compreensão, respeito e reconhecimento que funciona nos dois sentidos.

 

2. Encoraja a comunicação honesta e aberta.

Uma comunicação mais eficaz por meio de uma reunião one on one regular e estruturada que se concentra em tudo o que afeta a produtividade de um indivíduo é incentivada no RH 5.0

Essas conversas podem ser sobre prioridades semanais e metas de desempenho, bem-estar e feedback, resolução de problemas mais rápida e o desempenho geral dos negócios.

 

3. Aumenta o envolvimento dos funcionários.

Quando os funcionários se sentem valorizados e sabem que suas necessidades individuais são compreendidas, eles começarão a ver mais claramente o papel que desempenham como parte de uma equipe maior. 

Quando isso acontecer, eles estarão muito mais propensos a dar suporte a equipes mais amplas, acelerando os fluxos de trabalho, criando uma cultura de trabalho melhor e impulsionando o desenvolvimento profissional para si próprios e para aqueles ao seu redor.

 

4. Funcionários mais felizes equivalem a clientes mais felizes

A satisfação do cliente e do funcionário são as duas faces da mesma moeda e, se construir relacionamentos com o cliente é a chave para os negócios, a felicidade do funcionário também é. 

Quando seus funcionários se sentirem felizes, eles serão melhores defensores do seu negócio. 

Felicidade no trabalho significa uma qualidade melhor das atividades desenvolvidas, maior contribuição organizacional e melhora no desempenho geral.

É fácil identificar a diferença entre uma empresa que adota uma abordagem centrada nas pessoas para a gestão de desempenho e outra que não o faz. 

Uma vai entender o que seus funcionários precisam para se sentir realizados em suas funções de trabalho e implementar estratégias de pessoas. 

Enquanto a outra não sabe quais são as necessidades dos funcionários em sua força de trabalho e não está necessariamente fazendo nada a respeito. 

Isso pode se manifestar de várias maneiras, mas principalmente na forma de baixas pontuações de engajamento, cujos efeitos colaterais são uma alta rotatividade de funcionários e, em casos mais graves, o burnout.

 

5. Aumenta a produtividade dos funcionários

Ao compreender os motivadores individuais, você entenderá melhor o que seus funcionários precisam para serem produtivos e trabalhar da melhor forma. 

Seja um suporte maior, acordos de trabalho flexíveis ou mais tempo para saúde e exercícios. Ao compreender o que precisam, os gerentes podem facilitar um ambiente de trabalho que produzirá os resultados desejados.

 

Por que colocar os colaboradores em primeiro lugar é importante agora mais do que nunca?

As formas híbridas de trabalho estão forçando as empresas a repensar completamente sua abordagem atual para a gestão de funcionários. 

A pandemia expôs não apenas os desafios e benefícios de um modelo de trabalho em casa, mas também a importância do bem-estar dos funcionários e do equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Um relatório da WELCOA descobriu que 65% dos empregadores acreditam que as implicações da pandemia na saúde mental do trabalhador terão um impacto negativo no desempenho dos negócios a longo prazo.

Agora, mais do que nunca, os funcionários estão examinando:

  •  como são tratados e cuidados por seus empregadores;
  • a flexibilidade de seus horários de trabalho;
  • sua liberdade de trabalhar em casa ou no escritório;
  • e o apoio extra que lhes é oferecido, seja na forma de equipamentos adicionais para facilitar o home office ou de um calendário de eventos sociais totalmente abastecido. 

Com uma parte tão grande da vida dedicada ao trabalho, as pessoas estão pensando cada vez mais sobre sua vida profissional. 

 

Indo em direção ao RH 5.0

Falar sobre um estilo de RH positivo, focado na criação de cenários de felicidade para os funcionários, não é fácil, pois essa proposta de trabalho é percebida como algo esotérico e com questões de autoestima vinculadas, conforme explica um artigo do Glocal Thinking

No entanto, existem várias abordagens, com práticas aplicadas às empresas, que auxiliam na implementação de um modelo com foco no bem-estar. Aqui estão algumas sugestões:

  • Use ferramentas como a psicologia positiva, uma abordagem pela qual a felicidade é cientificamente estudada e orientada para a construção de qualidades como otimismo, ética no trabalho, capacidade de desfrutar bons momentos e responsabilidade social nas pessoas.
  • A resiliência proativa precisa ser estimulada, ou seja, construir a habilidade e as ferramentas para que a pessoa continue trabalhando bem em situações adversas, e não apenas saber como reagir a um evento.
  • Concentre-se na necessidade e pergunte o que sua equipe precisa? O ser humano precisa de um salário, mas principalmente hoje em dia precisa receber comentários do tipo: “Você está indo muito bem”. Esse feedback contínuo gera bem-estar e vontade de trabalhar.
  • Outra tarefa básica é entender o que motiva e impulsiona o funcionário no longo prazo, e identificar atividades em que o colaborador fica satisfeito.
  • Proponha um plano de 3 minutos, por exemplo, três minutos de atenção plena para manter a concentração no presente aos funcionários.

Há o dever de compreender a pessoa sem perder de vista que ela é um ser humano que contribui para o andamento dos negócios. 

A pandemia, nesse sentido, é o ponto da jornada em que podemos reiniciar o processo. 

Você está pronto para o RH 5.0?

Larissa Gracietti

Larissa Gracietti

Voar pelo conteúdo

A plataforma completa para aumentar o engajamento e desempenho de colaboradores

Outros conteúdos que você pode gostar

Cadastre-se e receba os melhores conteúdos sobre engajamento e desempenho em primeira mão!