Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Cultura data driven: como construir um RH orientado a dados?

Um dos desafios mais interessantes do people analytics no momento é criar uma cultura data driven, ou seja, uma cultura baseada em dados para o RH

A criação de uma cultura data driven pode beneficiar qualquer organização, mesmo aquela que já implementou uma solução analítica automatizada. 

Neste artigo, vamos ver dicas úteis sobre como criar uma cultura data driven e um RH orientado por dados.

O que significa uma cultura data driven e um RH orientado por dados?

A cultura data driven é aquela que depende dos dados para tomar as melhores decisões e escolher as alternativas ideais. 

Um bom exemplo disso são os gigantes da Internet, como Google, Amazon, Facebook, que demonstraram o sucesso desta nova abordagem analítica.

Nesse sentido, um RH orientado por dados, ou RH inteligente, trata de usar os dados de “forma inteligente e extrair insights que não apenas melhoram a gestão de pessoas dentro da empresa (incluindo a equipe de RH), mas também contribuem para o sucesso geral da organização”, explica Bernard Marr.

Como transformar os dados da Feedz em ação

Pense no seguinte: Os profissionais de vendas e marketing coletam e analisam dados sobre os clientes e, em seguida, tomam decisões com base no que encontram, certo?

Então, por que a abordagem deveria ser diferente para o recurso mais valioso da sua organização, as pessoas?

Provavelmente, você já tem os dados de que precisa. Agora, você só precisa das ferramentas e do treinamento para analisar as informações de maneira que diga o que está acontecendo agora e o ajude a construir uma estratégia de pessoas para o futuro.

Concentre-se em como o RH pode agregar valor à organização.

Por exemplo, os dados podem ajudar na tomada de decisões sobre a hora certa de contratar, compilando todos os custos envolvidos no recrutamento, além dos custos de salários e benefícios.

Com monitoramento constante, você pode coletar dados e, em seguida, agir de acordo com eles.

Depois que as novas iniciativas estiverem rodando, ainda é possível usar os dados para provar o retorno do investimento, apresentando mudanças positivas nas principais métricas de pessoas.

 

O que uma área de RH deve fazer para ter uma cultura data driven?

Hoje, a revolução dos dados colocou à disposição do RH um conjunto de tecnologias, métodos e técnicas que permitem agregar ao conhecimento desses profissionais um aspecto que complementa a tomada de decisões, tornando-as mais precisas e objetivas.

Agora, vamos ver 4 etapas necessárias para ter uma cultura data driven no RH:

 

1. Faça muitas perguntas

Antes de iniciar o processo de dataficação, você precisa rever as principais prioridades de negócios da sua organização e como os colaboradores apoiam essas prioridades.

Para isso, você precisa fazer a si mesmo e a seus colegas algumas perguntas-chave:

  • quem é o nosso cliente?
  • que problema resolvemos para eles?
  • quem é a concorrência?

Depois de definir as principais metas de negócios, se pergunte:

  • Como nosso talento afeta essas metas de negócios?

Para dar um passo adiante e adicionar um elemento de dataficação, pergunte-se:

  • O que precisamos medir, rastrear e prever para nos concentrar na melhoria dos resultados de negócios?

Considere as questões de recrutamento, por exemplo. 

Digamos que sua organização esteja tendo dificuldade em recrutar o talento certo através da entrevista remota para se manter competitiva.

Você pode demonstrar ao CEO e aos gerentes que ao usar dados para entender os gargalos no processo de contratação, para saber quais fontes de recrutamento são as melhores e quais candidatos são bem-sucedidos, você pode ajudar a empresa a sair na frente da competição por talentos.

Dessa forma, você estará em uma posição muito melhor para conseguir apoio da gestão para uma cultura de RH baseada em dados.

 

2. Antes feito do que perfeito

Depois de conseguir o apoio da liderança e dos membros relevantes da equipe e entender que tipo de perguntas você precisa responder com dados, a chave é começar.

É importante apoiar um programa que será entregue com frequência e que trabalhará com os tomadores de decisão para desenvolver soluções com os dados continuamente.

 

3. Considere as diversas necessidades de informação

É importante evitar uma abordagem única para o acesso aos dados. 

Por exemplo, se você está em uma função de liderança, precisa ter a capacidade de responder a perguntas novas e considerar ações-chave. Mas, seus profissionais de RH precisarão de acesso rápido aos principais pontos de dados.

Ou seja, imagine um fornecedor de varejo que quer fornecer análises aos gerentes e funcionários de suas lojas para que eles possam ver quanto venderam de um determinado produto e comparar com alguns objetivos internos. 

Por que deve ser considerado as diversas necessidades de informação nesse caso? 

Porque pode ser que ao desejar implantar uma cultura data driven, o RH ache que se todos os funcionários tiverem acesso a todos os dados, vai ser melhor.

No entanto, por mais que você possa ter uma equipe muito experiente em análise, o trabalho principal deles é vender produtos no chão de fábrica, não é explorar a análise de dados.

Assim como essa equipe de varejo, seus profissionais de RH precisam ser capacitados com informações, mas não tão sobrecarregados com dados a ponto de interferir em suas interações diárias com as linhas de negócios.

Qualquer dado estranho vai ser apenas uma distração.

 

4. Avalie os dados

Mudar para decisões mais baseadas em fatos não significa apenas ter os dados, mas também ter as habilidades para avaliá-los.

Como disse Mark Battersby em seu livro ‘Is that a Fact?’: “[Uma organização] que não pode avaliar afirmações estatísticas e científicas é como alguém perdido na floresta em meio a uma abundância natural de alimentos, mas sem o conhecimento para distinguir as plantas comestíveis das venenosas.”

Para você, líder de RH, isso significa que embora você não precise se tornar um especialista em regressão logística, pode ser útil conhecer os conceitos-chave, como por exemplo, a diferença entre causalidade e correlação: só porque duas coisas estão acontecendo ao mesmo tempo, isso não significa que uma causa a outra.

Você também deve considerar fazer do treinamento de alfabetização de dados um componente-chave dos programas de desenvolvimento para você e seus colegas de RH, bem como os gerentes.

 

Empresas que tiveram sucesso com uma cultura data driven

Netflix e Amazon tiveram sucesso com a cultura data driven

 

Netflix

Quando a Netflix entrou no mercado em 1997, entregando DVDs pelo correio, ela revolucionou a maneira como os americanos obtinham e consumiam conteúdo. 

Ao implementar, 10 anos depois, um serviço de streaming com uma biblioteca de conteúdo que pode ser acessada de vários dispositivos, mudou novamente as regras do jogo.

Mas como a Netflix conseguiu mudar a forma como consumimos conteúdo de forma tão drástica? Por meio do uso da cultura data driven.

A Netflix não coleta dados que não sejam baseados em Big Data e processados ​​por ferramentas analíticas avançadas. 

São essas características que apontam para o que estará em destaque na página inicial do aplicativo de cada usuário e que permitem à Netflix decidir quais séries renovar e quais filmes patrocinar.

 

Amazon

Outra organização que tem seus dados como principal moeda de troca é a Amazon. É por isso que a Amazon conseguiu entrar em tantos mercados e se tornar sinônimo de eficiência em todo o mundo.

Os modelos de dados que eles usam, não apenas recomendam novos produtos, mas também orientam decisões como investir em uma assistente virtual como a Alexa.

As empresas orientadas por dados estão à frente da concorrência porque podem interpretar rapidamente uma série de fatores que influenciam seu sucesso ou fracasso, deixando as emoções de lado na tomada de decisões.

Eles são mais precisos e possuem maior probabilidade de identificar tendências antes que se tornem claras para outros concorrentes. 

Como resultado, não é difícil identificar novas oportunidades e mercados nos quais devem se unir para expandir seus negócios.

Usando as dicas acima para criar uma cultura orientada a dados em sua organização, especialmente se combinada com uma solução analítica automatizada robusta, você estará liderando toda a sua equipe na tomada de decisões acionáveis, bem orientadas e baseadas em evidências, enquanto desfruta de resultados mais favoráveis.

A Feedz está aqui para ajudar você a construir um RH orientado a dados.

Chama a gente para descobrir como podemos ajudar sua organização.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Larissa Gracietti

Larissa Gracietti

Voar pelo conteúdo

A plataforma completa para aumentar o engajamento e desempenho de colaboradores

Outros conteúdos que você pode gostar

Cadastre-se e receba os melhores conteúdos sobre engajamento e desempenho em primeira mão!