Porque os feedbacks vão te tornar um CEO melhor

Falamos sempre por aqui sobre a importância do feedback. A ferramenta é essencial para gerar engajamento, alinhamento, transparência e crescimento profissional. Esses benefícios, porém, geralmente são atrelados ao desenvolvimento de carreira dos colaboradores de uma empresa e não a cargos de alta liderança, como os c-level.

Acontece que o feedback é benéfico a todos, principalmente aos CEOs. Em startups ou empresas em desenvolvimento, os líderes estão a par de todas as operações que acontecem no negócio, mas chega um momento que a empresa ganha tração e fica praticamente impossível acompanhar todos os processos e pessoas – isso se torna, inclusive, improdutivo, uma vez que o CEO tem  outras demandas.

Naquela primeira fase da empresa, a proximidade faz com que os colaboradores se sintam mais à vontade para dar feedbacks para o líder, estando sempre todos bem alinhados. Mas à medida que a empresa cresce, essa tarefa se torna mais desafiadora, tanto porque as tarefas de um CEO se multiplicam, quanto porque sua figura se torna mais distante. 

O feedback dos colaboradores, no entanto, é a principal ferramenta que um CEO pode usar a seu favor para evoluir no cargo e, consequentemente, impulsionar o negócio.

Do específico para o geral

Apesar de entender das operações de um negócio, o CEO precisa se colocar em um papel generalista. O tempo e as demandas exigem que o líder se concentre nas suas atividades prioritárias e saiba das operações por meio de reports dos responsáveis. 

Ao mesmo tempo, a figura do CEO deve passar segurança aos colaboradores, mostrar que entende do negócio, da estratégia e que está alinhado à cultura. Dentre todas essas responsabilidades, as vezes fica difícil para o líder parar e analisar seu comportamento, entender se está executando o papel que lhe é designado de maneira eficiente e  se os colaboradores se sentem à vontade para dar ideias, sugestões ou fazer críticas.

E é aí que entra o feedback. Se o CEO tem a visão geral, os colaboradores têm a específica. Eles que sentem a operação do dia a dia e podem melhor contribuir para otimizá-la. Além disso, os profissionais podem também apontar comportamentos do CEO a serem aprimorados para melhorar a cultura do negócio. 

O feedback dos colaboradores ajuda o CEO:

  • A entender a operação específica de cada setor e otimizá-la;
  • Pensar estratégias condizentes com a necessidade dos colaboradores, a fim de aprimorar a satisfação com o trabalho e, consequentemente, os resultados;
  • Olhar para o seu próprio comportamento para entender quais pontos devem ser ajustados;
  • Medir o alinhamento com a cultura da empresa. 

O CEO, como falamos, precisa passar uma imagem estratégica e de confiança para os colaboradores e não existe jeito melhor de fazer isso do que ouvindo os profissionais. Assim como para dar feedbacks existem melhores práticas, para receber também é aconselhável seguir algumas regras:

  • Ao receber uma crítica, tente entender da onde ela vem ao invés de se justificar;
  • Escute com atenção todos os pontos;
  • Não tente encurtar a conversa, muitas vezes o colaborador sente a necessidade de ter um tempo maior para dar um retorno;
  • Proponha saídas práticas para os pontos levantados;
  • Leve em consideração o feedback na tomada de decisão. 

Dessa forma, quem está no papel de CEO vai sempre ter um modo de metrificar se está no caminho certo. E na sua empresa, é comum os colaboradores darem feedback para o CEO? Conte para gente.