Por que as pessoas abandonam a sua empresa e você não sabe o motivo?

Por que as pessoas abandonam a sua empresa e você não sabe o motivo?

De acordo com uma pesquisa da plataforma LoveMondays, realizada com profissionais do México, Argentina e Brasil, os brasileiros são os mais insatisfeitos com seus trabalhos. Em um índice de 1 a 5, os profissionais daqui deram, em média, a nota de 3,47 para satisfação geral com o trabalho.

Corroborando com este cenário, um outro estudo, desta vez do instituto Locomotiva e pelo Grupo LTM, revelou que 56% dos brasileiros desejam mudar de emprego – esse montante representa cerca de 18,7 milhões de profissionais insatisfeitos com o cargo que ocupam atualmente. As principais queixas são falta de reconhecimento e de motivação.

Ao contrário do que diz o senso comum, o salário não é o principal motivador para a troca de empregos. De acordo com a pesquisa, 59% dos entrevistados afirmaram que o pagamento não é o fator principal na escolha de um emprego.

Portanto, ter salários atraentes mas um clima organizacional ruim, pode fazer com que a empresa perca talentos valiosos. Os entrevistados para a pesquisa elencaram reconhecimento como principal fator de permanência nas empresas: 78% deles disseram que receber feedbacks já os ajudariam a ter um maior engajamento e 87% que premiações em produtos ou serviços são uma forma eficaz de reconhecimento.

Mapeie a satisfação 😀😭

O cenário descrito acima não é nenhuma novidade para quem atua dentro de organizações. Mas pode ser surpreendente para gestores que nunca realmente olharam para a satisfação de seus colaboradores como ponto focal. Estes, muitas vezes, acreditam que por estarem entregando bons resultados, os funcionários estão felizes em seus cargos. Desta forma, se surpreendem quando começam a perder talentos do time.

Para ter uma visão realista de como está a satisfação e o engajamento dos colaboradores, os gestores podem usar a ferramenta eNPS. O método foi criado para medir o engajamento e satisfação dos funcionários de uma empresa. Ele funciona assim: o gestor faz rodar uma pesquisa perguntando “ em uma escala de 0 a 10, qual a probabilidade de você recomendar a nossa empresa como um bom lugar para trabalhar?”.

Neste caso, o 0 quer dizer nada provável e o 10, muito provável. Junto desta pergunta, é feita outra no sentido de entender porque o colaborador deu determinada nota. Dessa forma é possível mapear quem está insatisfeito e entender o que falta para promover o maior engajamento deste profissional.

Uma outra ferramenta para medir a felicidade dos colaboradores e não se surpreender com a perda de talentos, é promover uma  política de feedbacks constantes. A atitude foi elencada, inclusive, na pesquisa citada anteriormente como uma forma dos próprios colaboradores entenderem que estão sendo valorizados por seu trabalho ou em que podem melhorar.

Neste caso, feedbacks não necessariamente positivos mostram que a empresa está preocupada em manter o profissional, oferecendo a ele a visão de onde aprimorar seu trabalho.

Efeito dominó📊

Se perder um talento sem estar esperando é um problema, imagina perder vários. Esta é a tendência de empresas que não olham para os seus colaboradores como indivíduos e entendem as necessidades de cada um. Isso porque um funcionário insatisfeito se torna detrator da marca e pode influenciar outros na decisão de sair da organização.

Além do mais, o colaborador que não está feliz em seu cargo tende a produzir menos, sobrecarregando seus pares que terão que cumprir as demandas. Sobrecarga de trabalho mais falta de reconhecimento mais um clima organizacional ruim é a equação perfeita para a saída de diversos colaboradores talentosos da empresa.

Revertendo o quadro🤝

Além da dificuldade de encontrar profissionais adequados com o cargo e com a empresa, que façam seu trabalho de maneira exemplar, o turnover tem um custo elevado para as organizações. Isso porque ele gera encargos trabalhistas para o colaborador que deixou a empresa, a necessidade de abertura de processo seletivo, gasto com uma nova contratação e treinamento.

Conhecer a realidade dos colaboradores, saber se estão satisfeitos em seus cargos e entender como melhorar a rotina de cada um, portanto, é o segredo para evitar que os profissionais deixem o negócio de maneira repentina.

Para dar conta de ouvir todos da empresa, é preciso contar com processos bem estruturados de feedback e eNPS contínuos. Existem softwares que automatizam esta função e podem ajudar a medir a satisfação dos colaboradores.

Na sua empresa, você consegue medir a satisfação dos profissionais? Conte para a gente! 😉👊

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *