Melhore sua avaliação de desempenho e evite desvios comportamentais

Melhore sua avaliação de desempenho e evite desvios comportamentais

A avaliação de desempenho é uma forma tradicional de, como o próprio nome já diz, avaliar o desenvolvimento de um colaborador.

Esta ferramenta é uma grande aliada das empresas que conseguem, a partir dela, medir o desempenho de cada funcionário, gerando dados concretos que irão embasar decisões como promoção, advertência, bonificação ou um eventual desligamento da empresa.

A avaliação de desempenho é feita anualmente, semestralmente ou trimestralmente, de acordo com o perfil de avaliação da empresa. A cadência ideal é uma que dê tempo de um trabalho ser desenvolvido mas que também não demore tanto a ponto do avaliador se perder cronologicamente. Geralmente, esta frequência é de 3 meses.

Um RH baseado em dados é considerado mais justo pelas empresas. Com a geração de indicativos trimestrais, a área de gestão de pessoas consegue ter uma régua de desempenho fixa, que mostra exatamente a evolução – ou a involução – do colaborador.

Entretanto, o olhar do avaliador, ou avaliadores dependendo do modelo de avaliação de desempenho escolhido, pode sofrer desvios, que são comuns mas podem atrapalhar a real visão sobre o funcionário. Conheça os principais vieses que podem atrapalhar na avaliação de desempenho:

1 – Efeito Halo:

O nome do arco que figura em cima da cabeça de anjos, simboliza um desvio que faz com que o avaliador enxergue com bons olhos tudo o que o avaliado faz. Seja por conta de um período de bons resultados ou de alguma característica positiva marcante do colaborador, o avaliador acaba vendo com “bons olhos” tudo o que o funcionário em questão faz, desviando a avaliação para um viés mais positivo do que a realidade.

Esse efeito pode ser percebido por meio do olhar de um profissional de gestão de pessoas. Caso a avaliação esteja muito positiva em todos os tópicos pesquisados, e isso destoar das outras avaliações, é importante olhar com mais calma para entender se não aconteceu algum desvio.

2 – Efeito Horn:

Ao contrário do anterior, o efeito Horn, ou chifre em livre tradução, é quando o desvio é para o lado negativo. De novo, seja por conta de uma série de resultados ou comportamentos negativos, ou por alguma característica do colaborador que incomoda o avaliador, o viés da avaliação é negativo. Neste caso, o funcionário em questão pode sofrer sanções até mesmo injustas por conta de uma percepção com desvio.

Para identificar o efeito, também é preciso desconfiar de avaliações muito negativas e que se destaquem por esta característica das demais.

3 – Efeito contraste:

Comparar ações é uma maneira natural de medir o desempenho, até mesmo porque é preciso fazer uma média para saber o que está acima dela e o que precisa ser melhorado para manter um padrão. Porém, o avaliador precisa ter o cuidado para não gerar o efeito contraste, que consiste em sub ou superestimar um colaborador por conta da comparação com outro. Por exemplo, o funcionário A pode ser mais produtivo que a média, mas o B é ainda mais produtivo. Se o avaliador olhar apenas para a comparação binária, vai acabar avaliando negativamente o A, apesar de seus resultados serem bons.

4 – Efeito Temporal:

Um problema comum das empresas que deixam um período de tempo muito grande entre uma avaliação e outra é o desvio temporal. Os avaliadores acabam levando em consideração fatos que aconteceram mais recentemente e acabam negligenciando o que aconteceu há mais tempo. Isso pode gerar tanto um viés negativo quanto um positivo na avaliação.

A fim de evitar este problema, se aconselha que o avaliador anote ações positivas e negativas do avaliado ao longo do tempo.

5- Efeito de semelhança:

As pessoas tendem a avaliar melhor quem tem características e/ou comportamentos semelhantes aos seus. Homens tendem a avaliar melhor homens, pessoas mais novas tendem a ser mais lenientes com pessoas da mesma faixa etária e assim por diante.  

Tecnologia a favor das métricas

Todos esses efeitos acontecem por um simples motivo: as avaliações são feitas por humanos e como tais é impossível deixar preconceitos e visões pré-concebidas totalmente de lado. As empresas precisam deste viés humano no setor de gestão de pessoas, mas para ajudar a diminuir os desvios naturais, a tecnologia pode ser uma grande aliada.

Com um software de acompanhamento pessoal é possível registrar em tempo real as impressões das atividades e comportamentos dos colaboradores, tendo um histórico real do que acontece. Com o auxílio de uma tecnologia, ainda é viável ter diferentes avaliações de uma mesma pessoa, assim as notas podem ser comparadas para identificar diferentes vieses.

Na sua empresa você sente dificuldade de fazer avaliação de desempenho? Conte para gente e fique ligado no blog para ler mais dicas de como melhorar a gestão de pessoas.

12 thoughts on “Melhore sua avaliação de desempenho e evite desvios comportamentais

  1. Erstantrag auf einen Cashper Minikredit
    Dies sind die grundsätzlichen Bedingungen, um für einen Cashper Minikredit in Frage zu kommen:
    das Mindestalter ist 18 Jahre
    der dauerhafte, gemeldete Wohnsitz ist in Deutschland
    es liegt ein monatliches, stabiles Einkommen von mindestens 700 Euro netto vor
    Während des standardisierten Vorgangs der Antragstellung für einen Minikredit haben
    Sie zudem die Möglichkeit ihren Minikredit mit unseren Extra-Service-Option SUPER-Deal in 24 stunden
    auf Ihrem Konto zu haben. Dadurch können Sie auf Wunsch noch schneller über Ihren Kredit verfügen.
    http://bit.ly/MehrInfosinKürze

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.