[Feedz Writer] Changes are coming: como você está se preparando para o futuro? – Por Renata Garrido

Compartilhando minha própria vivência. Durante muito tempo me escondi atrás do trabalho. Tralhava de 11 a 13 horas por dia, faltei nos encontros de família e amigos, tranquei minha pós graduação, paguei academias onde nem pisava (por que fazemos isso?!), me inscrevi em eventos que nunca apareci… Estava mal com isso? Em si, não.

Amava o que eu fazia, estava implementando diversos projetos, me sentia mais realizada do que nunca. Ninguém me obrigava a ficar horas trancada na empresa. Ninguém nunca me pediu para trabalhar mais de 8 horas por dia, não me amarraram no pé da mesa. Essas escolhas foram decisões minhas, mas só tive esta consciência disso em um momento específico. Ao deixar de ir a um casamento de uma amiga porque coloquei na cabeça que precisava terminar um relatório urgente, me vi ali, sentada sozinha na mesa, sem ninguém na empresa, minhas amigas mandando mensagens… E eu chorei. Chorei porque percebi que não estava presente em momentos que deveria estar e momentos que não conseguiria mais recuperar.

Depois desse dia, reorganizei minha vida. Tracei o que era importante para mim, o que eu priorizaria. Voltei a correr, a estudar, a estar presente nos encontros. Passei a me alimentar melhor, a participar dos eventos em que me inscrevia. Terminei a pós e o MBA. Uau, tirei férias de 30 dias!!! E nenhum prato caiu no trabalho. Fui promovida duas vezes, me deram diversos desafios – tanto os que eu pedia quanto outros que apareciam, vida pessoal também decolou e me sinto muito mais realizada. Mas como conseguir fazer as mudanças necessárias (e saber em quais focar) tendo um mercado que está em uma transformação sem data para acabar?

Falamos sobre o novo mundo VUCA, o lifelong learning, a rapidez com que novas tecnologias atingem os consumidores e sobre as novas oportunidades que este mercado, em constante mudança, trará. E falamos também sobre as oportunidades que existem hoje e que deixarão de existir.

Os temas acima pautam diariamente as conversas sobre carreira, que, na minha vida, ocorrem dentro da empresa em que trabalho, na ONG voltada a universitários que apoio e também quando estou com o meu marido, família e amigos. São discussões que tentam lançar um olhar sobre o futuro e a melhor forma de nos preparar para ele. Diante de tantas incertezas e expectativas, muitas pessoas ficam perdidas em relação àquilo em que deveriam fazer para se preparar. E isso é natural. Afinal, a equação “inúmeras opções de conhecimento x tempo cada vez mais raro” nos lança em um mar de ansiedade muitas vezes congelante. Como não sabemos por onde começar, acabamos postergando decisões, o que nos deixa mais ansiosos ainda. Antes de colocar algum plano em prática, precisamos nos organizar. Abaixo seguem alguns passos para ajudar:

Passo 1: Não terceirize seu próprio desenvolvimento

Todos estão tentando identificar para onde o mercado vai. Todos estão apostando em algo. Por isso, nada é garantido e tomar as rédeas do seu desenvolvimento, focar no que você acredita e se identifica para ampliar seu conhecimento, é essencial.

Passo 2: Liste os temas que te interessam

Liste temas que estão ligados à sua carreira atual (e que você gosta e/ou faz muito bem), à carreira sobre a qual gostaria de aprender mais e aos seus hobbies (ou aos que deseja começar). Liste tudo. Colocar no papel faz com que você se apodere do que sabe e tenha consciência do que ainda precisa aprender.

Passo 3: Coloque pesos para cada assunto listado

Coloque pesos maiores para os temas que você realmente estaria mais propenso a colocar em prática. Exemplo: faz muitos anos que falo que aprenderei violino – anos significa mais de 15 anos. Realmente eu gostaria, mas o meu interesse real em aprender está bem abaixo de uma lista de outras habilidades que gostaria de desenvolver. Se eu realmente quisesse, teria arranjado tempo…

Passo 4: Não se esconda atrás da desculpa do tempo

Acreditamos que sempre teremos tempo e com isso vamos postergando vários projetos, porque é difícil enfrentar as barreiras que nos seguram diante das mudanças. Como diz o proverbio chinês: “O melhor momento para plantar uma árvore foi 20 anos atrás, o segundo melhor momento é agora”. Trace suas prioridades e reflita sobre o as barreiras que te seguram para não iniciar as mudanças que gostaria de realizar. Claro que cada pessoa tem o seu contexto de vida. Só a própria pessoa conhece as necessidades, traumas e situações que fazem parte de sua história. O convite deste artigo é fazer refletir sobre o que está dentro da sua esfera de decisões, as rotinas que dependem somente de você para mudar.

Recentemente, li um artigo de um jovem de 17 anos, Corey Simon, que deletou todas as suas redes sociais e escreveu como foi essa experiência. Em um cálculo bruto que fez do tempo que gastou em redes sociais ao longo de quatro anos, ele chegou ao número de 4.925 horas (uoooowww!). Imagine o que você poderia ter feito nessas horas se suas prioridades estivessem voltadas para ações impulsionam o seu crescimento (seja em relação à carreira ou a algum projeto pessoal).

Passo 5: Monte seu calendário mensal (o real e o com suas mudanças)

O livro de Tina Seeling, professora de inovação e empreendedorismo de Stanford, What I Wish I Knew When I Was 20, recomenda um exercício para você ser mais produtivo e encaixar os seus interesses no dia a dia – estou começando a colocá-lo em prática, mas achei tão interessante que acho legal já o compartilhar. A autora propõe que você monte um calendário de um mês, colocando minuciosamente como é o seu dia a dia. O que você faz, quanto tempo leva para cada coisa, quem são as pessoas com quem você está em cada ocasião… É um mapa real de como você está usando o seu tempo.

Após feito, você fará um novo calendário, substituindo cada ação do anterior por uma
nova. Exemplo: as duas horas em que você viu uma série na quinta-feira podem ser
dedicadas a cozinhar algo novo. Os 40 minutos em que conferiu uma rede social
podem se transformar em um momento para começar a meditar.
Tendo os dois desenhos você consegue ver onde está usando o seu tempo com
ações que não estão agregando no que você gostaria de conquistar e o que poderia
se encaixar no lugar.

Passo 6: Crie disciplina

Mudanças não são rápidas e simples, envolvem esforço mental e físico, envolvem foco
e ter, acima de tudo, consciência de suas decisões. Criar disciplina, obrigar-se a cumprir as metas que você mesmo se colocou, não é fácil. Tendemos sempre a voltar para o que já estávamos acostumados. Mas ter a disciplina faz com que você amplie sua zona de conforto, fazendo as mudanças se tornarem novos hábitos. Por isso aqui fica o meu convite de começar a refletir mais sobre o que você realmente se interessa, busca e o que é importante para o seu futuro. Quais relações quer manter, quais assuntos quer ler mais, quais conhecimentos quer se aprofundar? Refletir e ter a consciência do que e de quem gostaria de levar para o seu futuro. Se dê uma chance de colocar esse trabalho em prática, pois você verá como muitas mudanças e projetos só dependem de você para alcança-los.