Como uma empresa pode crescer com base em seus líderes | Entrevista Arthur Diniz

Que uma liderança forte e que performa bem é a chave do sucesso das empresas tudo mundo sabe, mas como formar líderes que realmente inspiram? Até onde vai o papel da liderança? Como que uma gestão bem feita impacta diretamente no sucesso de um negócio.

Arthur Diniz, CEO da Crescimentum, diz que não existe uma resposta pronta para essas perguntas, afinal, não há uma fórmula de liderança de sucesso. Mas o profissional dá o caminho de como descobrir como, dentro do contexto da sua empresa, a liderança pode ser decisiva. Confira:

 

1 – Como aprimorar a performance de um time de forma saudável?

Vejo que a construção de times de alta performance é um dos grandes desafios dos líderes. Isso porque, muitas vezes, temos colaboradores com uma excelente performance individual, mas que apresentam muita dificuldade de trabalhar em grupo. Então, esse aprimoramento é um verdadeiro processo e, por isso, muitas empresas recorrem ao Team Building.

Acredito que a performance de um time saudável começa pelas relações de confiança e proximidade do time. Não quer dizer que todos precisem ser amigos, mas é essencial que um confie no trabalho e na capacidade do outro. Times que se baseiam na confiança são mais transparentes, mais rápidos na hora de corrigir a rota e mais unidos, pois sabem que todos possuem as melhores intenções no trabalho.

Em segundo lugar, um time precisa ter algo que os une. É essencial um objetivo ou um sonho em comum. As pessoas precisam se reunir em torno de algo que cause paixão. Uma equipe que sabe onde quer chegar e que tem orgulho desse sonho, vai muito além. 

 

2- Qual o papel da liderança nessa melhora de performance?

O líder tem papel fundamental em todas as etapas desse processo. Ele é o responsável por construir um ambiente aberto, onde as pessoas se sintam à vontade e possam ser elas mesmas, com seus talentos e pontos fracos. 

Além disso, é papel do líder definir e compartilhar o sonho, a visão de futuro do time, só assim é possível juntar tantas pessoas diferentes e motivadas. 

O líder também é responsável por orientar as pessoas e corrigir comportamentos disfuncionais. Ou seja, também é papel dele dar autonomia e ser transparente em relação ao que está indo bem e o que não está. Ele também é o ponto focal quando falamos de celebrar as pequenas conquistas e avanços do dia a dia, relembrando o time que, apesar de muito trabalho duro, há sempre espaço para comemorar e reconhecer as realizações.  

 

3- Quais características um líder deve desenvolver para inspirar o seu time?

Liderança é uma das funções mais complexas para se ocupar e, por essa complexidade, é importante entendermos que o líder precisa de muitas características e competências. Algumas delas são: saber como criar relações de confiança, dar e receber feedbacks, delegar, empoderar pessoas, liderar de acordo com diferentes perfis… A lista é longa!

Mas, trabalhando há mais de 17 anos com o desenvolvimento de liderança, eu posso afirmar: não tem uma receita pronta ou uma “forma ideal” de inspirar um time. Até porque cada líder precisa encontrar uma forma que funcione mas que, ao mesmo tempo, seja compatível com seu perfil e perfil do time. 

Não dá para falar “todo líder precisa ser super motivado e energizado”, se esse estilo não combina com você. Até porque as pessoas percebem quando nos expressamos verdadeiramente ou quando estamos tentando interpretar um papel. Então, acho que a principal forma de se inspirar um time é sendo autêntico, mostrando tudo o que você tem de melhor e também o seu calcanhar de Aquiles. 

 

4- Qual o impacto que uma liderança fraca traz para uma empresa?

Ambientes de trabalho com uma liderança fraca se tornam tóxicos, comprometendo o desenvolvimento de pessoas e o crescimento da organização. Existem várias pesquisas que relacionam performance da organização e a  liderança. Uma específica, publicada pelo Folkman há alguns ano, mostrou que líderes extraordinários mais que dobram os lucros e, em contraposição, uma liderança fraca ou tóxica faz a empresa perder dinheiro.

O impacto de uma liderança fraca ou despreparada é imenso: desde turnover e clima organizacional, até produtividade e retrabalho. Não há um problema na organização que não tenha envolvimento direto com a liderança. 

 

5- Na sua opinião, qual o maior desafio dos líderes hoje?

Liderar em meio ao caos e à incerteza que permeia todas as nossas empresas e negócios, em qualquer lugar do mundo. Se antes as empresas desfrutavam de anos à frente da concorrência, hoje, todo um negócio de sucesso pode acabar em questão de meses.

Eu mesmo não consigo prever ou desenhar um planejamento exato de onde minha empresa estará em um ano. Dois anos atrás, eu jamais imaginaria que estaríamos nesse patamar. 

Essa questão de organizações exponenciais e negócios digitais coloca todos os líderes em um “mar bravo”, o que exige não só mais rapidez e ousadia, mas também ainda mais consciência de que o papel do líder não é mandar, e sim, formar pessoas que pensem com suas próprias ideias. 

 

6- Como melhorar a performance das lideranças? 

Como eu disse, não acredito que exista uma única receita que sirva para todo e qualquer líder. Mas acredito em alguns princípios e tendências que, de forma mais ou menos intensa, afetam a todos. 

Acho que um dos primeiros passos para melhorar a performance das lideranças é entender o que é essencial para o negócio e fazer a relação entre isso e o modo de se liderar. Por exemplo: se eu quero fazer minha empresa crescer exponencialmente em 2020, eu preciso de líderes que acelerem o desenvolvimento das pessoas. Então, o mínimo que esses líderes precisam fazer é dar feedbacks rapidamente e criar espaços e autonomia para que os talentos natos possam de fato trabalhar em paz. Uma vez que estamos muito conscientes de nossa estratégia, fica muito mais fácil entender o que vai melhorar a performance das lideranças. 

Um outro ponto que melhora a performance de qualquer indivíduo é o autoconhecimento. Se como líder de uma organização, eu não tiver humildade para reconhecer os pontos fortes e fracos da minha liderança e da liderança dos meus liderados, o caminho torna-se muito mais tortuoso. Então, um excelente segundo passo para melhorar qualquer liderança (e pessoa) é trazer, de forma respeitosa e sincera, o que se pode melhorar. 

Não há mudança sem consciência, e a consciência só vem através da transparência e da troca sincera de feedbacks e pontos de vista. Então, se você é líder e observa alguns pontos de melhoria em seus liderados, mas não diz nada a eles, você certamente não está contribuindo para a performance dessas pessoas e da sua própria organização. 

 

7 – Qual o papel do líder na manutenção da cultura de uma empresa?

Gosto muito de estudar sobre liderança e comportamento e uma das pessoas mais notáveis quando o assunto é cultura chama-se Richard Barrett (que eu tive o prazer de conhecer e até mesmo de formar uma parceria). Barrett conta que a cultura de uma organização é o reflexo dos comportamentos de líderes do passado e do futuro. Ou seja, os líderes são os verdadeiros protagonistas da cultura de qualquer empresa. 

Os pontos fortes e fracos da sua organização são naturalmente proporcionais aos pontos fortes e fracos dos líderes que nela trabalham. Portanto, seja para promover a manutenção, seja para promover uma mudança substancial na cultura da empresa, tome sempre como ponto de partida a liderança. As organizações só se transformam a partir da transformação individual de seus líderes! 

 

8 –  A pergunta de um milhão de dólares: como ser um bom líder dentro do contexto das empresas hoje? 

Além de lidar bem com incertezas, um bom líder dessa Era Exponencial trabalha todos os dias para se tornar cada vez mais substituível e dispensável. Pode até soar como um paradoxo e, em muitas empresas onde eu falo isso, recebo olhares surpresos e até mesmo fulminantes, mas essa é a verdade.

A Era Exponencial e ágil acaba de uma vez por todas com a figura do líder super herói, que sabe tudo, que faz tudo e que controla tudo e todos. Para ser um líder extraordinário nesse contexto, é preciso que você trabalhe incansavelmente para formar e desenvolver novos líderes, e isso se dará através de muita autonomia e transparência. Todo líder precisa empoderar as pessoas para realizarem seus trabalhos e precisa ser transparente e rápido para alertar quando as coisas não estão indo bem.