Como práticas de RH ajudam a criar uma cultura de testes do zero

A cultura empresarial funciona como combustível para os negócios. Ela que dá a força necessária para todos os colaboradores executarem suas funções rumo ao objetivo principal da instituição. A Pesquisa de Cultura Organizacional 2019, da PWC, revelou que 73% dos respondentes brasileiros acreditam que a cultura das organizações que comandam precisará sofrer uma mudança nos próximos três a cinco anos, para que as empresas possam ter sucesso, crescer e reter talentos. 

Um dos caminhos mais populares hoje entre as instituições é a implementação da cultura de testes para impulsionar estes fatores. Com ela, a empresa “respira” inovação, criatividade e resultados, uma vez que os colaboradores se sentem livres para testar novas soluções em suas áreas, propor novas ideias e medir os resultados. 

A economia vem mudando de forma veloz e muitos negócios precisam achar um jeito rápido de se adaptar à nova realidade. A cultura de testes, neste sentido, é uma forma de encontrar saídas de maneira ágil, diversa e validada. Sua implementação e efetivação pode ser facilitada com práticas de RH que incentivem e deem apoio aos colaboradores. 

Deixe a criatividade fluir

Um dos ativos mais importantes da cultura de testes é a criatividade, por meio dela é que os colaboradores enxergarão novas saídas para velhas práticas. Mas a criatividade está muito atrelada a segurança e liberdade para propor algo – mesmo que seja uma ideia maluca. 

Nesse sentido, as áreas de RH podem criar iniciativas de brainstorm, espaços de conversa, áreas de descompressão com elementos que incentivem a criatividade, entre outros,  para incentivar que qualquer ideia seja posta à mesa, sem sofrer retaliações. Se a proposta será colocada em prática é outra história, mas o primeiro passo para uma cultura de testes bem sucedida é não ignorar nenhuma ideia.

Feedback como forma de tangibilizar as ações 

A curadoria das ideias pode ser afinada por meio de feedbacks. Retornar aos colaboradores o posicionamento da empresa frente as suas ideias, ajuda a alinhar pensamentos e expectativas, focalizando a criatividade para o lugar certo. 

Além disso, em um ambiente que incentiva testes, ter um retorno do que está dando certo e o que pode ser aprimorado é crucial para tornar as ações dos colaboradores mais efetivas, as alternativas testadas mais certeiras e aumentar a segurança que eles sentem para propor novas soluções.. 

Metrificando o ambiente

Um dos fatores mais importantes de uma cultura de testes é a metrificação. Como saber que a opção A é melhor que a opção B? Olhando para o resultado de cada uma delas e entendendo qual faz mais sentido de acordo com a estratégia da empresa. 

Nesse sentido, o RH é responsável por metrificar, também, a satisfação e engajamento dos colaboradores com esta cultura. Só assim será possível entender se realmente as pessoas se sentem mais motivadas por terem mais liberdade, se estão conseguindo encontrar novas saídas  e se o engajamento está gerando resultados. 

Para tal, podem ser feitas pesquisas de clima ou pulso, para ter uma fotografia e um panorama geral de como os colaboradores enxergam a cultura de testes e como isso impacta em suas rotinas. 

E na sua empresa, vocês são abertos a testes? Contem para a gente como o RH ajuda a organizar e incentivar novas ideias.