Como a Feedz te ajuda a ser uma empresa GPTW?

Com certeza você já ouvir falar no selo Great Place to Work. A popularização da certificação é um reflexo da valorização dos colaboradores e do entendimento das empresas de que estes são seu ativo mais precioso. A Feedz, por meio de suas ferramentas, pode ajudar os negócios a serem empresas GPTW. 

Mudança de lógica: melhores empresas para se trabalhar

A contratação é uma via de duas mãos: além do profissional precisar oferecer as competências necessárias para ajudar a evoluir o negócio, a empresa tem que ofertar um ambiente saudável e que estimula o crescimento para convencer que é o melhor lugar para o profissional se desenvolver.

Na área de tecnologia da informação, por exemplo, existe um déficit de profissionais. A estimativa da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro (Softex), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) é de que este ano faltem até 280 mil pessoas formadas nessa área para ocupar postos de trabalho — o que representa uma perda de R$ 115,4 bilhões de receita líquida. 

Por esse e outros motivos, as empresas de tecnologia são grandes interessadas no selo GPTW, afinal, elas estão em um cenário concorrido no mercado de trabalho e precisam atrair os melhores talentos para o seu quadro de colaboradores. Além de salário, ter um ambiente saudável, que gere engajamento, motivação e desenvolvimento – pilares das empresas GPTW – ajudam na atratividade do negócio. 

Além de colaborar no recrutamento dos melhores talentos para a empresa, essas características corroboram para um melhor desempenho do negócio. De acordo com estudos realizados pelo neuroeconomista Paul J. Zark, os profissionais que estão inseridos em ambientes com alta credibilidade e autonomia criativa – também características de empresas GPTW – apresentam 74% menos estresse, 106% mais energia no trabalho, 50% mais produtividade, 13% menos dias de licença por doença, 76% mais comprometimento, 29% mais satisfação e 40% menos desgaste. 

As empresas certificadas, portanto, ganha em três frentes: na atratividade de talentos, na meio produtividade desses profissionais – o que é refletido no lucro dos negócios –  e na diminuição de turnover, ou seja, maior permanência dos colaboradores – o que, além de economizar o custo de processos seletivos e de desligamentos, ainda permite a construção de uma jornada de desenvolvimento das atividades. 

O que significa ser uma empresa GPTW

O selo Great Place to Work (ótimo lugar para trabalhar, em português) foi criado nos anos 1980 pelo jornalista Robert Levering. A empresa homônima do selo presta consultoria para os negócios que desejam ser reconhecidos pelo seu ambiente e respeito pelos colaboradores. Hoje, a certificação está presente em mais de 53 países e avalia quesitos como benefícios, autonomia, clima organizacional, transparência na gestão, remuneração  e orgulho de fazer parte da organização. 

Para avaliar esses quesitos é feita uma pesquisa com os colaboradores, que dão notas a cada um deles. Os negócios que atingirem a média de 70 ou mais pontos, no total, estão habilitados a receber a certificação Great Place to Work.

O que é o ranking? 

A certificação é anual e as empresas que recebem o selo são colocadas em um ranking de acordo  com sua nota. A listagem com as posições dos negócios é divulgada pela revista Época Negócios respeitando as seguintes categorias:

  • Multinacional (Médio porte)
  • Nacional ( Grande, médio e pequeno porte)
  • Regional ( Estadual)
  • Setorial (De acordo com o setor das empresas)
  • Temático (Respeito a conceitos como LGBTQ+, Étnico Racial, Gênero, entre outros)

Existe também o ranking América Latina, onde os negócios podem ser divididos entre:

  • Multinacionais
  • Grandes Empresas Nacionais
  • Pequenas e Médias Empresas Nacionais 

 

O que é avaliado no questionário?

Para ser certificada como GPTW uma empresa precisa alcançar média 70 a partir de um  questionário aplicado a todos os colaboradores. A nota, no entanto é composta por duas pesquisas: a de 5 dimensões, que é responsável por 67% da nota, e a de cultura, responsável por 33%.

Na chamada pesquisa Trust Index são envolvidas 5 dimensões para avaliar a experiência do colaborador:

 

  • Credibilidade: aqui é avaliada a confiança que os profissionais sentem em seus gestores e o quanto esses passam credibilidade por meio da comunicação, competência e integridade. Dentro da primeira subdivisão é avaliada a comunicação interna; na segunda a coordenação, supervisão e visão dos gestores; e na terceira a honestidade e confiabilidade que os gestores transmitem para os colaboradores e clientes da empresa. 
  • Respeito: nessa dimensão é avaliado o quanto os colaboradores se sentem respeitados pelos seus líderes, levando em consideração valorização profissional, colaboração e consideração. 
  • Imparcialidade: aqui a principal métrica é a justiça dos líderes. Os profissionais avaliam se o reconhecimento, promoções, pagamentos, tratamentos, entre outros, são feitos de uma forma igualitária e imparcial pelos gestores para todos. 
  • Orgulho: nessa dimensão é metrificado o sentimento que os colaboradores têm diante da sua função no negócio, da sua equipe e do ambiente que está inserido. 
  • Camaradagem: esse quesito avalia o companheirismo dentro do negócio por meio da proximidade entre colaboradores e seus líderes; a hospitalidade do ambiente empresarial; e o senso de comunidade criado entre as áreas. 

Além das cinco dimensões é feita a pesquisa Culture Audit, que avalia as práticas e políticas implementadas nos negócios pelos líderes para os colaboradores, são avaliados 5 critérios:

  • Autonomia para os colaboradores;
  • Benefícios;
  • Salários;
  • Abertura para inovação;
  • Oportunidade de crescimento. 

Como a Feedz pode ajudar a sua empresa a ser certificada?

Para alcançar excelência em todos os quesitos elencados para se tornar uma empresa GPTW é preciso ter um trabalho constante para manter um ambiente saudável de trabalho, com comunicação clara, engajamento alto e motivação. Para tal, os negócios precisam ter processos bem estabelecidos que facilitem a manutenção desses pilares dentro da cultura da empresa. 

Principalmente em um contexto onde o conceito “anywhere” vem ganhando força, ou seja, as pessoas podem, cada vez mais, trabalhar de qualquer lugar não precisando necessariamente estar dentro dos escritórios, a tecnologia é uma grande aliada para manter a cultura do negócio forte. 

O primeiro passo é contar com uma comunicação interna eficaz. Entre líderes e liderados, essa conversa deve ser feita através do 1:1 constante, já entre os colaboradores pode ser realizada por meio de feedbacks. A Feedz oferece ferramentas para a efetivação dos dois métodos, facilitando também o reconhecimento público dos colaboradores e a anotação da evolução dos profissionais. 

Entender a saúde da cultura do negócio também é essencial para fazer os ajustes necessários a fim de se tornar uma empresa GPTW, por isso, pesquisas de pulso e de clima se fazem relevantes. Por meio delas os gestores conseguem entender se as ações para o bem-estar dos profissionais realmente estão surtindo efeito, o que poderia ser melhorado, etc. Essas pesquisas são como termômetros que medem se o negócio está no caminho certo.

No que tange a relação do colaborador e seu líder duas ferramentas são essenciais:

 

OKR: além de balizar o trabalho de todos dentro da empresa, os OKRs servem para alinhar as expectativas dos profissionais e seus gestores, evitando que no fim do ciclo o profissional seja cobrado indevidamente; usando meta como fator de motivação; e dando um parâmetro real para avaliação do trabalho;

 

Avaliação de desempenho: principalmente quando falamos da avaliação 360º, essa ferramenta é essencial para  o desenvolvimento dos profissionais. Por meio dela, líderes e liderados são avaliados de acordo com quesitos técnicos e comportamentais, o que resulta no entendimento de quais os pontos a serem aprimorados para um melhor desempenho e convivência no negócio, além da valorização dos pontos que já estão adequados. 

Como se tornar uma empresa GPTW?

Além de contar com ferramentas como as descritas para ter um trabalho constante de aprimoramento e manutenção da cultura e clima do negócio a fim de garantir uma boa nota na avaliação, é preciso seguir quatro etapas da própria certificação.

A primeira consiste na inscrição do negócio em um dos planos da GPTW e na avaliação dos colaboradores para gerar a certificação; a segunda é o fornecimento de todas as informações e dados sobre o perfil, cultura e práticas do negócio; a terceira é uma avaliação; e finalmente a quarta é a premiação.

 

Ainda tem alguma dúvida de como se tornar uma ótima empresa para se trabalhar? Fale com a gente!