[CaseFeedz] Como a cultura da Adove apoiou o crescimento de 50% de sua carteira de clientes

A pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19) tem espalhado mundo afora um clima de incerteza nas relações de trabalho. Considerada como uma oportunidade de “reinvenção” para muitos, o fato é que algumas mudanças potencializadas por este novo cenário estão chegando para ficar.

O uso de ferramentas digitais tem se mostrado fundamental para encurtar distâncias e, assim, permitir a medição da produtividade das equipes. Isso sem falar que, de forma mais importante, tais soluções estão viabilizando a presença de RHs ao lado de cada indivíduo.

Em tempos de isolamento social, o acompanhamento a distância dos objetivos e resultados-chave nunca fez tanto sentido. 

Mas a verdade é que, a implementação de ferramentas ágeis para a gestão de pessoas já faz parte do dia a dia de muitas empresas. Muitas delas, inclusive, já nasceram com esse DNA. 

Um bom exemplo é a agência de marketing digital Adove. A empresa iniciou seus negócios apostando na criação de uma cultura forte para atrair grandes clientes e os melhores talentos. 

Para isso, lançou mão de ferramentas digitais com o objetivos de conhecer de perto seu público interno e, assim, sustentar suas estratégias mercadológicas. 

Hoje, a empresa comemora um crescimento de 50% em seu portfólio de clientes somente neste último ano.

Mas, qual é o papel da cultura interna neste resultado? Como uma plataforma digital pode sustentar isso? Como o uso de feedbacks contínuos junto aos colaboradores pode levar os negócios mais longe? 

A gente te conta! 

Voe com conosco para conhecer o case da Adove + Feedz!

 

Quem é a Adove

A Adove é uma agência de marketing digital, especializada em inbound marketing. Está na estrada há 11 anos e hoje comemora uma carteira de clientes que cresceu 50% somente neste último ano.

O resultado positivo salta aos olhos de qualquer gestor, mas para alcançar tal patamar, a Adove decidiu abrir mão de 30% de sua antiga carteira de clientes para se ajustar ao desenho de um novo ICP (ideal customer profile). Atualmente, cerca de 90% deste atual portfólio é formado por negócios B2B. 

Orquestrar todas as mudanças recentes exigiu agilidade por parte dos gestores, como explica Karine Sabino, CEO da Adove. “Em 2019 passamos pela definição de um novo posicionamento junto ao mercado e junto ao nosso público interno. O resultado disso foi uma nova identidade visual, a criação de novos serviços e, também, o mapeamento da nossa cultura”, comenta. 

Para dar conta de todas as demandas, a Adove possui hoje uma equipe de 20 colaboradores, distribuída em escritórios em Rio do Sul (SC) e na cidade de São Paulo. 

Desde o momento zero, a empresa optou por instaurar o “feedback” em seu código de cultura. Para estruturar isso, a Adove apostou em uma plataforma digital chegando até a Feedz em 2018, se tornando um dos primeiros clientes.

Naquela ocasião, o principal desafio da agência era equacionar as demandas de uma equipe jovem, que tinha sede por desafios diários. 

Depois de quase dois anos, os resultados já são perceptíveis:  

  • 100% dos colaboradores da Adove estão engajados com a ferramenta (88% de adesão ao humor e 63% de envolvimento com feedbacks); 
  • A alta adesão melhorou o entendimento do perfil individual dos colaboradores; 
  • Dessa forma, a agência ganhou mais agilidade para a tomada de decisões de RH; 
  • Foi possível também fazer uma gestão preventiva ao turnover; 
  • E por último, mas não menos importante, houve um melhor alinhamento de expectativas entre diretoria e equipe.

Mas, como foi a jornada da Adove? 

 

Desde o início, foco na construção da cultura 

“Acreditamos que uma cultura forte é o ponto de partida para atrair grandes clientes e os melhores talentos”. 

A premissa acima foi criada quando a Adove tinha apenas cinco colaboradores, sendo três deles os próprios sócios. 

Foi nesta época que a empresa chegou até a Feedz. “Fomos apresentados ainda quando a plataforma estava em fase inicial. Na mesma hora acreditamos que essa seria uma boa ferramenta, porque combinava com o nosso espírito empreendedor e com a nossa vontade de fazer a diferença junto às pessoas e empresas”, se lembra Karine.

Na ocasião, a percepção dos sócios sobre a adoção de uma ferramenta digital de feedback mostrava “uma nova possibilidade de contribuir com o time, entendendo suas particularidades e agregando aos processos de RH”.

 

Valores: feedbacks positivos podem “operar milagres”

“Ouvimos, incluímos, reconhecemos e impulsionamos as pessoas. Elas são nossos principais ativos e valorizamos a fundo o que nos faz crescer”.

E na busca incessante por aprimoramento, todas as ações da Adove são medidas e qualificadas através de processos simples, porém, eficientes. “Incentivamos os feedbacks como ferramenta de crescimento. Elogios sinceros operam milagres”, conforme descreve o código de conduta da empresa.

 

Obstáculos: como era a vida antes? 

No início, a Adove possuía apenas processos formais para gestão de pessoas. Todo o fluxo de contato estava relacionado ao setor contábil, nada que funcionasse de forma preventiva ao turnover ou de fato humanizasse o relacionamento de RH

“Assim, ficava muito complexo entender alguns comportamentos de uma equipe tão jovem, que, na sua maioria, encara o primeiro emprego. Além disso, a atividade que desenvolvemos, o marketing digital, também é nova no mercado”, conta a CEO.

 

Equipe jovem: preferência por interações digitais

Os sócios-fundadores da Adove entendiam que o perfil da equipe pedia motivação constante. Mas, sem conhecer os colaboradores e suas expectativas de forma mais clara, essa tarefa era quase impossível. 

Além disso, a gestão da empresa percebia que quando era feito pessoalmente, o alinhamento de expectativas gerava algum ruído, de forma que as respostas acabavam ficando veladas. 

“Constatamos que grande parte do nosso time preferia as interações digitais. As ferramentas da Feedz como as pesquisas rápidas e o acompanhamento das celebrações e dos feedbacks, nos trouxeram um mapeamento muito mais efetivo e permitiram que as conversas de alinhamento passassem a ser mais direcionadas e assertivas”, conta Karine.

 

Falta de motivação e o impacto na produtividade do time 

Desde o início, a Adove estabeleceu como um de seus valores a melhoria contínua. Contudo, Karine admite que havia uma dificuldade em aplicá-lo em cada um dos colaboradores. “Durante muito tempo não conseguimos destinar esforços para a melhoria do time”. 

E, embora a empresa não tivesse um turnover alto, em alguns momentos, os gestores sentiam os impactos da falta de motivação na produtividade do time.

 

Por que investir em ferramentas de feedbacks faz sentido? 

“A ideia era criar canais sem muita burocracia”.

A expectativa inicial da Adove ao contratar as ferramentas da Feedz era criar um canal mais próximo à equipe. “Queríamos permitir que eles tivessem um meio de se manifestar sem que precisassem marcar horário para isso”, comenta. 

Hoje, esse canal além de funcionar muito bem, se tornou uma ferramenta indispensável para a Adove. “Ela (a solução) tem apresentado resultados estratégicos para a alta gestão, assim como tem colaborado positivamente para a interação entre os times”, avalia Karine.

 

É preciso incentivar a cultura de feedbacks? 

No momento da implementação, a Adove estabeleceu algumas estratégias com o objetivo de motivar o time para conhecer e usar a plataforma. Uma delas se apoiou na ferramenta de recompensa e ranking da própria Feedz

“Como em nossa cultura o feedback é algo bastante forte, essa interação foi se ampliando naturalmente. O uso e engajamento das pessoas foi acontecendo de forma gradativa, conforme a plataforma foi evoluindo. Assim, fomos compreendendo melhor o seu papel na empresa” diz Karine.

Atualmente, a plataforma da Feedz faz parte do onboarding de novos colaboradores da agência. “Todos gostam muito e a acham dinâmica e divertida. Comentam, principalmente, sobre os e-mails bem humorados que fazem parte dos lembretes diários”, destaca a gestora.

 

Resultados parte 1: quando esperar por eles?

“Os primeiros resultados vieram logo no início”. 

Assim que a ferramenta da Feedz foi implementada, a Adove verificou imediatamente os primeiros resultados. Entre eles, os gestores perceberam a melhora nas interações interpessoais e entre as equipes. 

 “Criamos um plano de ação para monitorar o humor do time e agir em casos mais críticos. O mesmo com as pesquisas que nos pontuaram coisas que presencialmente seriam mais difíceis”, se lembra a CEO. 

 

Resultados parte 2: quando dar os próximos passos?

Hoje, o foco da Adove está em estimular o uso de áreas mais estratégicas dentro da plataforma da Feedz como o PDI (Plano de Desenvolvimento) – ferramenta que auxilia o desenvolvimento profissional.

“A Adove também está melhorando a aplicação da sua metodologia de OKRs (gestão de metas). Nessa nova fase, a Feedz se torna ainda mais fundamental”, avalia Karine.

 

A cultura pode mesmo levar os negócios mais longe?

“As metas da empresa para os próximos anos são audaciosas. Entendemos que só poderemos atingi-las com uma equipe ainda mais engajada, capacitada e com conhecimento dos nossos valores e, principalmente, disposta a ajudar outras empresas e pessoas.

A Adove está focada em marketing digital para empresas B2B. Queremos fazer com que empresas gerem mais negócios para que outras empresas façam o mesmo e, assim, desenvolver uma cadeia de rentabilidade e estabilidade socioeconômica.

Nesse contexto, acreditamos que a Feedz continuará sendo uma ferramenta aliada ao nosso propósito e, principalmente, no desenvolvimento de novas competências internas”, finaliza a Karine.