5 Feedbacks reais para impulsionar a produtividade dos colaboradores

O feedback é a principal ferramenta dentro de uma empresa para alinhar expectativas, engajar pessoas, aprimorar o desenvolvimento individual e de uma equipe e, consequentemente, impulsionar resultados.

Esse retorno, no entanto, não pode ser apenas uma prática pontual a cada fim de ciclo. Para maximizar os benefícios do feedback é importante que ele seja constante e 360º, isto é, que todos da empresa tenham a liberdade de dar retornos a qualquer colega ou líder no momento, ou logo depois, que uma ação positiva ou negativa aconteça. 

“É mais provável que os funcionários aprendam e cresçam quando recebem feedback imediato, específico, direcionado ao seu desenvolvimento e capaz de ser colocado em prática imediatamente”, resume o relatório Gallup sobre ambientes de trabalhos norte-americanos. 

Como e quando dar feedbacks

Damos feedbacks através da nossa linguagem corporal o tempo todo: nossa postura, tom de voz, expressão facial e gestos mudam se estamos satisfeitos ou desapontados. Assim como é importante saber ler esses sinais, é crucial saber explicitá-los em palavras. Se algo foi feito de uma forma que não agradou, além de expressar essa sensação por meio do corpo é preciso saber dizer para a pessoa que a ação não foi correta. 

Mas isso não pode de ser feito de qualquer jeito. Todo feedback, seja positivo ou construtivo, deve ser estruturado seguindo essas três características:

1- Ter como base um comportamento

2- Mostrar o impacto desse comportamento

3- Dar saídas.

Exemplos práticos de feedbacks para  impulsionar a produtividade

Algumas situações são comuns a diferentes empresas e podem ser resolvidas por meio de um feedback bem feito. Trouxemos cinco exemplos que podem servir de base para a construção de qualquer retorno. Confira:

1 – Quando algum projeto está atrasado:

Pressionar um colaborador para entregar um projeto atrasado pode comprometer a qualidade da entrega e desmotivar o profissional. O mais importante é sempre mostrar os efeitos de uma ação e tentar entender suas causas, a fim de evitar que o erro persista. Nesse caso, a conversa poderia seguir essa linha: “Vimos que o projeto não foi entregue na data prevista, encontrou alguma dificuldade no caminho? O que podemos fazer para finalizá-lo o quanto antes?  Dá próxima vez que ver que algum projeto não será entregue no prazo, podemos conversar antes para tentar otimizar algumas ações a fim de que o deadline seja cumprido”. 

2 – Quando o profissional está desmotivado:

Agir logo que um colaborador dá sinais de desmotivação é importante para alinhar expectativas e tentar ajudá-lo a encontrar propósito. Nesse caso, o ideal é tentar entender a causa desse comportamento: “Vimos que anda menos motivado que o usual, aconteceu alguma coisa? Existe algum comportamento dentro da empresa que ache que precisa ser ajustado ou algum projeto que gostaria de se dedicar? Podemos fazer um plano de ações para que consiga se desenvolver de acordo com suas ambições na empresa”. 

3 – Quando acontece um erro:

Todos os seres humanos erram, mas em alguns casos esses erros podem ter grande impacto para as empresas. Assim, quando acontece uma falha é preciso apontá-la e tentar evitar que se repita. O feedback nesses casos pode seguir a linha: “ Aconteceu um erro nessa ação, na minha visão tal e tal atitudes poderiam ser tomadas para que ele não tivesse acontecido. Na sua opinião, o que poderia ter prevenido o erro? Podemos aprender com isso para não mais acontecer e sempre que tiver alguma dúvida pode contar comigo”.

4 – Quando o profissional tem uma conquista:

Os feedbacks positivos são tão importantes quanto os construtivos. Quando um colaborador acerta em uma ação é crucial que ele seja valorizado e entenda o que o levou a esta conquista, assim as ações podem ser replicadas. O feedback pode ser: “Parabéns! Vimos que vem trabalhando há tempos para construir essa conquista. Na minha opinião o que te levou até ela foram tal e tal coisa, e na sua? O que fez que te levou a acertar nessa ação? Acha que pode compartilhar esse conhecimento com a equipe?”.

5- Quando o profissional se desliga da empresa:

Esse é o feedback que mais pode trazer aprendizados para o negócio, uma vez que as pessoas tendem a apontar sem receio os erros e acertos da empresa. Para estimular uma opinião construtiva o ideal é que a conversa siga a seguinte linha: “ O que mais te agradava nos dias com a gente e o que acha que podemos melhorar? O que poderíamos ter feito para te engajar mais que não foi pensado?”

 

 

Cada situação precisa ser adaptada para o acontecimento real, o importante é que o feedback gere diálogo para realmente resolver um problema ou exaltar uma ação, gerando sempre conhecimento. E na sua empresa, como os retornos são estruturados?