E agora? Como engajar colaboradores em home-office?

Engajar os colaboradores não é uma tarefa fácil. Para suprir parte dos desafios envoltos nesta atividade foi que surgiram os escritórios “descolados”, com espaços de descompressão, mesas de jogos, comida à vontade e horários flexíveis. Mas e se não for possível usar dessa estrutura e da cultura organizacional latente nestes espaços para manter o engajamento?

Engajar os colaboradores que atuam de forma remota, ou até mesmo os que eventualmente trabalham em home office, é uma dor de cabeça para os gestores. A prática de liberar o colaborador para trabalhar de casa quando necessário – e possível – vem ganhando popularidade entre os empresários e gestores por conta da liberdade que entregam ao profissional – o que por si só já seria um fator potencial para gerar engajamento

Uma pesquisa pela ADP Research Institute colabora para a efetividades desta prática. Os dados mostraram que 29% dos funcionários que atuam remotamente se dizem totalmente engajados, contra 18% que atuam em escritórios. O estudo ouviu quase 20 mil pessoas de 19 países. 

Mas o que na teoria é positivo, na prática pode tomar outro rumo. Isso porque longe do ambiente de trabalho é mais difícil de ter o controle sobre a boa experiência que o profissional tem durante o expediente, a comunicação é prejudicada e é difícil manter um padrão de produtividade. As empresas ainda não se adaptaram totalmente a este modelo de trabalho e sentem dificuldade em driblar os problemas e manter este engajamento elevado.

Cinco fatores podem ajudar os negócio, porém, a potencializar o engajamento de colaboradores que estão fora do escritório, conheça:

1- Comunicação:

home-office

Essa é a chave do sucesso de uma política de home office. Os gestores precisam garantir que o colaborador não se sentirá excluído por estar fora do escritório e nem tão pouco sozinho frente aos desafios. A comunicação precisa ser constante e natural: no escritório o profissional não teria que  mandar um report de o que fez no fim do dia, por que em casa precisaria?

A dica é: manter uma comunicação igual a pessoalmente. O gestor deve perguntar como está indo o trabalho, entender os desafios, fazer uma call para alinhar processos se necessário, se manter sempre como se estivesse ao lado do colaborador. 

A interação entre os profissionais da empresa em grupos também é importante neste caso. Assim, o colaborador que está em casa não se sente sozinho e pode atuar com seus pares de forma natural. 

2 – Planejamento:



Trabalhar de casa não é de longe sinônimo de folga, muito pelo contrário, muitos colaboradores afirmam render mais neste ambiente. Para se ter uma segurança tanto do lado da empresa, quanto do profissional, o ideal é que se siga um planejamento. Mas como falamos, este não precisa ser em forma de report das atividades diárias.

O ideal é cada profissional ter um planejamento mensal ou semanal das atividades que precisa cumprir. Ele será cobrado por isso durante e no fim do ciclo, portanto, entende a necessidade de cumprir prazos. Sendo assim, é fácil para o gestor identificar o que está sendo realizado pelo colaborador mesmo este estando longe e para o profissional é garantida a segurança de que o trabalho está sendo visto.

Ter uma plataforma de gestão de tarefas pode ajudar muito nestes casos.

3 – Reconhecimento: 



Não é porque o colaborador está fora do escritório que seu trabalho não precisa ser reconhecido. Receber um elogio público e ter o reconhecimento dos colegas é essencial para manter o engajamento. Por isso, mesmo quando o trabalhador estiver em outro ambiente, o gestor pode mandar um e-mail ou compartilhar uma conquista dele por uma plataforma com todos da empresa. 

4 – Participação:



Geralmente as empresas têm diversas ações de engajamento, sejam cursos internos, aulas específicas ou horários de descontração. Excluir o colaborador que está fora do escritório desses momentos é o primeiro passo para  deixá-lo desengajado. 

Com a tecnologia é possível participar de qualquer atividade à distância. Se esta envolve interação ou movimentos físicos, pense em ferramentas de comunicação, vídeos ou tutoriais que podem ser seguidos pelos profissionais que estão em outros ambientes. 

Não tem desculpa para deixar o colaborador de fora. 

5- Feedback:



Não deixar o profissional no escuro é essencial em todas as situações, mas quando este está em home office é ainda mais importante. Por não poder sentir como está a evolução das atividades no escritório e não estar inserido no mesmo clima, o profissional precisa saber se está alinhado com os propósitos da empresa, com a rotina dos colegas, com as conquistas e os desafios. Só existe uma forma de fazer isso: feedback.

O gestor precisa mostrar quais os pontos fortes e as atividades bem desenvolvidas pelo colaborador e como este pode melhorar. Assim, mesmo em outro ambiente, ele se sentirá engajado para alcançar os objetivos da empresa. 

6- Mantendo-se presente



Existem muitas ferramentas, enfim, que podem ajudar em cada um destes processos e contribuir para o engajamento do colaborador, independente de onde é que ele esteja. O melhor jeito de saber o que funciona para sua empresa é fazendo testes e ouvindo os profissionais – principalmente os que trabalham remotamente.

7- Processo de Alinhamento

…………………………………………………………………………………………………………………………………….
Comunicado do Co-founder com a empresa sobre o home-office em meio ao CORONAVIRUS
…………………………………………………………………………………………………………………………………….

Pessoal,

Visando a saúde de todos os parrots e suas famílias, a partir de segunda, 16/3 toda Feedz trabalhará no formato home-office, com previsão de retorno ao escritório 16/4 (a confirmar).

Amanhã a Feedz estará aberta para busca de equipamentos (se necessário) para trabalhar em casa. Pegou, voou. 🙂

Não é opcional, é obrigatório, mas quem tiver dificuldades em fazer home-office, conversar com Gabriel ou Bruno, no privado, para buscarmos juntos uma solução.

O grande segredo do home-office é disciplina e comunicação.

Disciplina é fundamental. Todos sabem que nossa responsa é grande então contamos com a maturidade de todos para agirmos como se estivéssemos no escritório, atentos a horários, focados nas tarefas e principalmente nos objetivos, resultados, entregas semanais.

Sem comunicação estamos perdidos. A coisa mais importante é estarmos interagindo e se comunicando a todo o momento, comunicação nunca é demais no trabalho remoto. Faz de conta que estamos do lado um do outro, então sempre dê um sinal de vida (FLY, FEEDZ! VOA, FEEDZ!) para sabermos que está bem. A cada turno, pelo menos. Não suma!! Alôoou!! Tem alguém aí?! rsss

Além disso outras dicas são: tenha um espaço dedicado, de preferência uma mesa; e não abandone sua rotina, se comporte como se estivesse indo para o escritório.


Como vai funcionar o Home-Office?

1) A plataforma oficial de comunicação é o Slack, então continuemos cada vez mais logados.

2) Toda segunda-feira 13h15 todos devem estar logados no Hangouts para o OKR semanal.

3) Cada time tem um gestor e tem sua forma de gerenciar. Alguns times farão reunião de alinhamento semanal na segunda 8h – 9h – 10h, outros segunda/quarta e sexta, e outros até diariamente. Sugerimos reuniões curtas de 15 – 30 min e depois disso, foco total na execução.

4) Às sextas 16h30 teremos normalmente a reunião das lideranças e estaremos acompanhando todos os indicadores semanais.

5) Usem a Feedz intensamente, compartilhando o seu humor para entendermos como vão suas emoções, celebrando as pequenas vitórias, solicitando e enviando feedbacks, respondendo as pesquisas, atualizando seus PDIs e acompanhando os OKRs.

6) Qualquer problema ou dificuldade é só mandar uma msg ou ligar que estaremos super dispostos em ajudar. Não pense duas vezes, manda aí!

Durante esse período longe, sentiremos saudades de estarmos juntos, mas faz parte, saúde em primeiro lugar. Confiamos em vocês. Vai dar certo!! Valeu! 😉

Gabriel Leite (CMO & Co-founder)
……………………………………………………………………………………………..

Comunicado do CEO com o time em meio ao CORONAVIRUS
……………………………………………………………………………………………..

Em casa

– Procure ficar em um quarto ou sala isolada das demais pessoas, de preferência num local silencioso;
– Avise as pessoas que você estará trabalhando;
– Procure manter uma rotina de horários bem definidos;
– Se arrume como se fosse sair de casa: banho, roupas, etc;
– Tenha um plano B caso sua Internet pare de funcionar ou acabe a luz;

Comunicação

– Sempre escolha falar demais. Fale e confirme que a informação foi clara e compreendida;
– Mantenha sua agenda do Google atualizada;
– Utilizem os canais públicos para comunicação em massa;
– Avisem quando for saírem/retornarem do almoço, café, etc;
– Para tomadas de decisão: faça uma videochamada;
–  Não mande mensagens de “oi”, “bom dia”, etc. Sempre envie a mensagem direta para a pessoa: “Oi Bruno, bom dia, tudo bom? Estou com o problema X, você pode me ajudar?”
– Utilize a marcação @ em casos mais urgentes;
– Sempre utilizem câmeras dos notebooks e headset para as videochamadas. Deixe seu microfone mutado quando não estiver falando;

Foco

– Utilize checklist para definir o que precisa ser feito no dia;
– Foque nas atividades mais difíceis primeiro;
– Evite ficar conectado em redes sociais;
– Sempre que algo te bloquear em alguma atividade, avise os colegas e seu líder

(Bruno Soares – CEO & Co-founder)

8- Ferramentas

Além da Feedz para compartilhamento das emoções, comunicados, celebrar as pequenas vitórias, solicitar e enviar feedbacks, responder pesquisas, avaliações de desempenho, atualizar PDIs e acompanhar os OKRs

Trello
Slack
Hangouts
Google Agenda
Emails
Loom
Whatsapp

Dicas Finais

Outras 100 ferramentas para trabalho remoto: Remotamente
Outras dicas sobre trabalho remoto: Office Less

E aí na sua empresa? Como engajam os colaboradores em home-office?

Texto publicado 23 de Setembro 2019 e atualizado 16 de Março de 2020.


Professor, publicitário, pós-graduado em marketing digital, CMO & Co-founder na Feedz.
Back To Top